Pular para o conteúdo principal

Triste realidade

Paulo Eduardo Mendes*
Cronista múltiplo. Veia jornalística completa. Ação redacional na política, nas áreas noticiosas as mais variadas para fazer pouso na crônica social. Assim, o registro em torno de José Rangel. Elegante no seu modo de ser, o Rangel forneceu a triste realidade da sua partida deste mundo físico. José Rangel entre rádio e jornal sendo sempre um destaque. Redação firme e educada para luzir em todos os setores do jornalismo. Talhado para a crônica social em razão da sua fina fidalguia. Redigia com classe o que se continha no universo social.
Marcou sua presença exatamente pela forma de escrever. Conduzia seu texto com o aprumo da elegância. Incapaz de ferir usando a ousadia do verbo. Eterno conciliador nas "conversas de salão". Cronista social sempre bem recebido pela sociedade que o aplaudia por méritos. José Rangel simbolizando o valor da ética, da decência, da nobreza de caráter. Altivo nas crônicas sociais, por excelência, fez história na forma de retratar personalidades do "grand-mond" desta Fortaleza rica de valores. O registro da sua ausência surge pranteado de forma realmente sincera e sentida. Retira-se de cena um homem de bem. Reflete sua bondade que trazia do berço. Bem casado e pai são argumentos inerentes ao seu dom de vida proba.
José Rangel sempre cercado de aura positiva. Há luz no seu entorno. Jornalista exemplar. Simples no modo de noticiar. Firmou o conceito de elevada profissionalização, por entender e respeitar o público alvo dos seus enfoques socialmente dentro de um equilíbrio humanista. Ele parte e fica no paradoxo que engrandece a nossa categoria de jornalistas por ideal.
*Jornalista

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08