Pular para o conteúdo principal

Novo livro do Papa dedicado à oração da Ave-Maria

Francisco repete experiência com canal televisivo católico na Itália, após ciclo sobre o Pai-Nosso
Cidade do Vaticano, 09 out 2018 (Ecclesia) – O novo livro do Papa, ‘Avé-Maria’, chega hoje às bancas, na Itália, com uma conversa sobre a “oração mais amada” com o capelão da prisão de Pádua, padre Marco Pozza.
A publicação recolhe uma entrevista de Francisco para o programa ‘Ave-Maria’, da Tv2000, canal televisivo católico, à imagem do que já tinha acontecido num ciclo de reflexões sobre a oração do Pai-Nosso, em 2017.
A entrevista, realizada em colaboração com o Dicastério para a Comunicação, do Vaticano, começa a ser emitida parcialmente a 16 de outubro, introduzindo nove emissões dedicadas à Ave-Maria e duas ao ‘Magnificat’; a transmissão, na íntegra, acontece a 23 de dezembro.
Francisco fala da normalidade de Maria e da sua santidade, que pode ser imitada por todos.
“Maria é a normalidade, é uma mulher que qualquer mulher deste mundo pode dizer que pode imitar. Nada de estranho na vida, uma mãe normal: mesmo no seu matrimónio virginal, casto naquele quadro de virgindade, Maria foi normal. Trabalhava, fazia as compras, ajudava o Filho, ajudava o marido: normal”, refere.
O Papa sublinha a importância da maternidade na fé católica, na conceção de Deus e da Igreja, perante uma sociedade com “tendências individualistas e egoístas”, porque as mães “sabem testemunhar a ternura, a dedicação incondicional”.
Um dos temas abordados foram as mães da Plaza de Mayo, uma associação formada pelas mães dos desaparecidos, os dissidentes desaparecidos durante a ditadura militar argentina (1976-1983).
“A uma mãe que sofreu o que as mães da Plaza de Mayo sofreram, eu permito tudo. Pode dizer tudo, porque é impossível compreender a dor de uma mãe”, observou o Papa, antigo arcebispo de Buenos Aires (Argentina).
Francisco alerta ainda para o que denomina como “o pecado da elite”, de quem não sabe viver com o seu povo.
“A Igreja é povo, o povo de Deus. E ao diabo agradam as elites”, precisa.
OC

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08