Projeto de professora de escola de Queimadas, PB, é finalista do prêmio Jabuti de Literatura

Por G1 PB
Revista Tertúlia é fruto de projeto desenvolvido pela professora Patrícia Rosas em escola de Queimadas — Foto: Reprodução
Revista Tertúlia é fruto de projeto desenvolvido pela professora Patrícia Rosas em escola de Queimadas — Foto: Reprodução

Uma professora paraibana da cidade de Queimadas, no Agreste, e professora UEPB, Patrícia Rosas, é finalista do Prêmio Jabuti de Literatura na categoria "Formação de Novos Leitores". Patrícia é coordenadora do projeto Desengaveta Meu Texto, que aproveita textos de alunos do ensino fundamental da escola em que trabalha. Os textos são publicados na revista Tertúlia.
A iniciativa já publicou três revistas com 186 textos feitos por 114 alunos. A edição que concorre ao Jabuti é especialmente dedicada à temática do bullying, que de acordo com a própria revista é um “assunto que precisa ser discutido em sala de aula haja vista termos percebidos o alto índice de violência entre os alunos”.
A publicação é de dezembro de 2017 e conta com textos feitos pelo aluno da Escola Municipal Tertuliano Maciel. Tanto a edição finalista do Jabuti como as duas outros produzidas pelo projeto Desengaveta Meu Texto estão disponíveis para serem lidas online.
“Atualmente, a Revista Tertúlia tem sido o principal eixo motivador do ensino-aprendizagem da leitura e escrita na Escola, desenvolvendo a competência leitora crítico-reflexiva dos alunos/professores e desenvolvendo as habilidades de escrita, de modo a levar o aluno/professor à posição de um sujeito autor de seus textos e de sua história”, afirma Patrícia Rosas.

Literatura paraibana no 60º Jabuti

Além do projeto desenvolvido pela professora doutora em linguística, Patrícia Rosas, na escola municipal de Queimadas, outros dois escritores ligados à Paraíba também concorrem no prêmio que é considerado um dos mais respeitados da literatura brasileira.
O escritor e jornalista paraibano, Tiago Germano, é finalista na categoria crônica com o livro “Demônio Domésticos”, primeira obra do escritor, lançada em 2017 após um financiamento coletivo. A obra é uma coletânea das crônicas que o autor publicou ao longo de sua carreira como jornalista.
A Paraíba segue representada com a escritora Maria Valéria Rezende, paulista, mas radicada em João Pessoa, é finalista na categoria conto com a obra A Face Serena.
O prêmio Jabuti é organizado pela Câmara Brasileira do Livro (CBL) e a cerimônia de entrega aos vencedores acontece no dia 8 de novembro, em São Paulo. Os vencedores de cada categoria vão receber um prêmio de R$ 5 mil, sendo que o principal ganhador recebe R$ 100 mil.

Comentários

Mais Visitadas

Há 50 anos, primeira mulher negra era eleita ao Congresso nos EUA

O Irmão Carlos de Foucauld

Escreve Pe. Jocy - Dom Delgado

MASP completa 50 anos de histórias

Cearense Mailson Furtado ganha o Prêmio Jabuti de livro do Ano