Pular para o conteúdo principal

A abertura do IV Festival de Literatura da Amazônia (Flama)

A gente fica se importando com o que não deve, ou não é da nossa praia e esquece de valorizar o que realmente interessa. ********** To..

A gente fica se importando com o que não deve, ou não é da nossa praia e esquece de valorizar o que realmente interessa.
**********
To me referindo a coluna de ontem, quando achei de comentar sobre a vitória do Palmeiras sobre o meu Vasco
*********
E deixei de divulgar o que realmente interessa à comunidade cultural do nosso estado em especial da capital Porto Velho.
*********
Entre os eventos que aconteceram e que merecem nossa total atenção foi a abertura do FLAMA ocorrida no Teatro Banzeiros que contou com a participação dos Corais Vozes do Madeira e Canto Livre respectivamente do Tribunal de Justiça e do Ministério Público de Rondônia.
*********
O evento contou com a presença do ilustre escritor e poeta baiano José Inácio, além de autoridades constituídas do município de Porto Velho.
**********
Pois é, assim foi a abertura do IV Festival de Literatura da Amazônia (Flama), na noite da última segunda-feira (26), no Teatro Banzeiros em Porto Velho.
*********
“É um evento muito importante, o segundo na gestão do prefeito Hildon Chaves. Estamos trazendo inclusive obras literárias e pessoas de renome nacional. É um momento importante também para conhecermos os escritores daqui e também um incentivo a mais para os estudantes, já que temos escritores mirins”, destacou o secretário municipal de educação César Licório, que na ocasião representou o prefeito.
*********
O escritor e poeta Alexandre Brito, que veio do Rio Grande do Sul, acompanha o Flama à distância desde a sua 1ª edição, “mas quando recebi o convite fiquei muito feliz porque acho muito bacana esse formato que o evento tem. Aqui tem a arte, a literatura, mas também tem as discussões sobre a arte de escrever e uma interação muito grande com a escola, com a leitura, com a formação de leitores”, frisou.
**********
“É bom que estejam proliferando eventos como esse pelo Brasil todo, pois são de uma importância fundamental na construção de um público leitor. Ainda mais com a presença de Alexandre Brito, que transita por todas as linguagens e por todas as idades para encantar as crianças e formar um público consumidor de cultura. O Flama é um festival de literatura, mas que dialoga com outras linguagens”, disse José Inácio, que pela 2ª vez participa do festival.
**********
Marcaram presença o Gerente da Divisão de Artes Escolar da Secretaria Municipal de Educação (Semed), que é responsável pelo evento, Andrea Melo.
**********
O Flama traz para Porto Velho representante não só da Bahia e Rio Grande do Sul, mas também do Pará, Minas Gerais, Unir, dos Ministérios da Cultura e da Educação, entre outros.
***********
Até a próxima sexta (30), haverá apresentações musicais, palestras, performances poéticas, mini-cursos, exposições de artistas plásticos e rodas de conversas.
***********
Muitas outras atrações acontecem até sexta-feira, quando se encerrará o festival. As atividades iniciam sempre a partir das 8 horas.
*********
Por isso ´que se diz: Nunca é tarde, para se levantar a cabeça e ter a humildade de se redimir perante aqueles que lhes são caros.
*********
E tá chegando a hora de mais um “Tributo ao Menestrel” desta feita o homenageado será esse que escreve essa coluna que é chamado de Sílvio Santos ou Zekatraca
********
Os ensaios estão acontecendo sob a direção do SILVINHO SANTOS. O show vai contar com a participação do Bado, Pastoras do Asfaltão, Lairton Rocha, Branko Moraes – Casca de alho, Zezinho dos Cobras, Bainha e Torrado.
********
As escolas de samba em reunião da Fesec decidiram que também participarão da homenagem ao Sílvio Santos levando passistas, porta-bandeira e mestre-sala e os interpretes de samba enredo. Vai ser o Bicho esse show!
Diário da Amazônia

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…