Pular para o conteúdo principal

AS QUATRO ESTAÇÕES DO COMPORTAMENTO HUMANO

Carlos Delano Rebouças*

Primavera, verão, outono e inverno, quatro estações do ano que representam em mudanças climáticas e temporais, com reflexos inevitáveis na vida das pessoas.

No Brasil, ao contrário da Europa, por exemplo, não são bem definidas, aliás, muito pelo contrário, diga-se de passagem. Uma loucura é sentir-se calor quando que o frio deveria prevalecer, não é? Faz-nos preocupar com as constantes mudanças climáticas, suscetíveis e inconstantes, durante um ano inteiro. Com as estações do ano, nosso humor também muda com a transição das delas em nossas vidas. Passamos a nos comportar e a reagir de acordo com a estação vigente. Passamos a ser elétricos no verão, compenetrados no inverno; apaixonados na primavera e bucólicos no outono.

Independentemente da sua ordem e do hemisfério em que nos encontramos, sempre estamos mudando de estação e humor de maneira sincrônica, com reflexos comportamentais que redundam em diversos aspectos de nossa vida, inclusive, no trabalho. Adotamos posturas diferentes, com ou sem o uso de vestimentas adequadas, ora pertinentes, ora também questionadas, e que podem permitir uma análise mal concebida sobre as pessoas. Somos aquilo que perpetuamos com a nossa imagem, por isso devemos ter muita atenção como nos apresentamos.

Nosso humor também é resultante das mudanças climáticas e de suas características. No verão, muito calor e sol avassalador podem diminuir a paciência das pessoas, elevando a intolerância, e com isso, dificultando as relações.

Já no inverno, típico de chuva e frio, resulta em acolhimento e recolhimento, fazendo com que a coragem e a vitalidade diminuam. Passamos a manter uma postura mais retraída, sobretudo, nas relações interpessoais.

Primavera e outono, sem definições tão percebidas em grande parte do Brasil, mas que ocorrem entre o verão e ou inverno, não têm tantos reflexos no comportamento da maioria dos brasileiros, ao contrário de outros povos, sobretudo, os europeus, que curtem a beleza da estação das flores e a metamorfose de uma flora depois de um verão intenso, que marcam suas vidas, seus comportamentos e suas escolhas.

Não importa se as estações são ou não tão bem definidas no Brasil, tampouco se nos interessa, de fato, para as nossas vidas. Na verdade, em qualquer parte do mundo se fazem reflexões sobre nossas reações comportamentais, e no Brasil ainda mais, e que muitos ainda as relacionam a cada uma delas – primavera, inverno, verão e outono – por suas particularidades relacionadas a um dado momento na vida.

*Professor de Língua Portuguesa e redação, conteudista, palestrante e facilitador de cursos e treinamentos, especialista em educação inclusiva e revisor de textos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/