Pular para o conteúdo principal

Cine Humberto Mauro exibe a mostra 'Era dos Extremos'

Programação reúne 30 obras que retratam diferentes momentos de um dos acontecimentos mais traumáticos da sociedade moderna: a II Guerra Mundial.


O Grande Ditador (1940).

O Grande Ditador (1940). (Divulgação)
Cine Humberto Mauro apresenta a mostra Era dos Extremos, reunindo 30 obras que contextualizam a II Guerra Mundial, considerada o evento mais traumático da sociedade moderna e que influenciou inúmeras produções cinematográficas. A programação é diversa, contando com curtas-metragens, longas considerados clássicos e algumas raridades que abordam, principalmente, a ascensão dos regimes totalitários na Alemanha e Itália.
Segundo Bruno Hilário, curador da mostra e gerente do Cine Humberto Mauro, os filmes selecionados mostram os efeitos dos períodos pré, durante e pós II Guerra na sociedade como um todo. “Alguns dos filmes fazem uma ponte entre o coletivo e o individual de maneira poética por meio do romance, das relações familiares e do cotidiano tomado pela desesperança. Já outros são mais documentais e abordam ideias extremistas que foram difundidas por meio da estética da arte, visando a legitimação das atrocidades cometidas nesse período”, comenta Bruno Hilário.
“Era dos Extremos” reúne na programação filmes clássicos como Casablanca (1942), de Michael Curtiz, O Ovo da Serpente (1973), de Ingmar Bergman, O Grande Ditador (1940), de Charles Chaplin e Roma, Cidade Aberta (1945), de Roberto Rosselini, que foi filmado em locações reais. Também, entre os destaques da mostra está Arquitetura da Destruição (1989), documentário que aborda a estetização da política pelo Partido Nacional Socialista Alemão e como o empenho em criar o Ideal Ariano levou ao extermínio de milhões, provocando a ascensão de Hitler por meio da imagem e da comunicação de massa.
Katyn (2007), outro destaque da mostra, acompanha Anna, que aguarda na companhia da filha o retorno do marido, Andrej. Os soviéticos informam que os poloneses foram assassinados pelos nazistas na floresta de Katyn, mas o diário de Andrej conta uma história diferente. Destaca-se, também, Amacord (1973), filme de Federico Felini sobre o cotidiano de sua própria cidade, Rimini, por meio de diversos personagens e acontecimentos, em meio ao fascismo.
O título da mostra faz referência ao livro homônimo de Eric Hobsbawm, renomado historiador inglês que analisa os eventos, fatos econômicos, sociais e culturais do século XX. Assim como a mostra do Humberto Mauro, a obra amplia o conceito de “extremo”, contrapondo a visão bipolar do mundo apreendida pela sociedade nesse período. “Para além dessa divisão entre Estados Unidos e União Soviética, democracia e fascismo, reside também nos extremos todo o contraste entre a riqueza e a pobreza, o poder econômico e o desenvolvimento social, o progresso e a barbárie”, resume Bruno.
História Permanente do Cinema – O Cine Humberto Mauro dá continuidade às sessões comentadas do programa História Permanente do Cinema. Durante a Mostra Era dos Extremos, será exibido o longa Trás-os-Montes (1976), de António Reis e Margarida Cordeiro, em cópia raríssima e restaurada cedida pela Cinemateca Portuguesa. A sessão será comentada pelo professor de cinema João Dumans. Trás-os-montes será exibido dia 29/10 às 19h30 em edição especial da História Permanente do Cinema.
CINE HUMBERTO MAURO – Mostra Era dos Extremos
Local: Cine Humberto Mauro – Palácio das Artes
Endereço: Av. Afonso Pena, 1.537
Período: 28 de outubro a 21 de novembro
Entrada gratuita – Ingressos distribuídos uma hora antes de cada sessão
Informações para o público: (31) 3236-7400 

Fundação Clóvis Salgado

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…