Pular para o conteúdo principal

Dramaturgia de Ariano Suassuna começa a voltar às livrarias

O Estado de S. Paulo, O Estado de S. Paulo

Desde sua morte, em 2014, Ariano Suassuna continua na pauta literária por conta da publicação de escritos inéditos. Primeiro foi Romance de Dom Pantero no Palco dos Pecadores, em uma caixa com dois volumes, lançada em 2017 e que traz uma espécie de testamento literário do autor do Auto da Compadecida. Agora, outra caixa, intitulada Teatro Completo, compila 23 peças e traz 12 textos inéditos – ainda não há previsão de lançamento em livrarias, mas já está disponível em sites como Amazon.
Todos os lançamentos vêm sob a chancela da editora Nova Fronteira, que separou um texto especial, publicado agora em livro: As Conchambranças de Quaderna.
Dramaturgia de Ariano Suassuna começa a voltar às livrarias
Peças de teatro de Ariano Suassuna saem em livro Foto: Felipe Rau/Estadão
Dividida em três atos, a peça acompanha os desatinos do protagonista, obrigado a fazer conchavos para resolver seus problemas – sempre buscando, claro, se sair bem em tudo. Aliás, “conchambrança” é uma corruptela de “conchamblança”, que significa justamente conchavo, combinação.
Ester Suassuna Simões, neta do escritor e professora da UFRJ, afirma que o texto foi escrito quando Suassuna preparava O Romance de Dom Pantero, que traz, inclusive, Quaderna como um dos personagens.
As Conchambranças podem ser pensadas como um dos exercícios iniciais para a síntese buscada n’O Romance”, afirma Ester, no texto de apresentação. “Toda a sua produção integra um grande e uno universo simbólico que, apreciado de maneira conjunta, demonstra a criação de uma imensa obra de arte total, em que mesmo vida e obra são sintetizadas. O universo de Suassuna é um convite ao sonho, enquanto marca também questões de uma realidade dura, com a ingerência política, no modo mais crítico que a literatura promove, a união do trágico com o cômico.”
Suassuna produziu sua obra teatral entre 1947 e 1961 e As Conchambranças de Quaderna, divulgada em 1987, marcou seu retorno à escrita cênica. O texto é considerado uma espécie de síntese entre o que Suassuna escreveu de prosa e dramaturgia. Depois disso, ele só produziu A História do Amor de Romeu e Julieta (1996). 
Fonte: Cultura Estadão

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…