Pular para o conteúdo principal

DUELO HONRADO

A imagem pode conter: texto
Heitor era o príncipe encarregado de comandar o exército troiano e os aliados contra as forças gregas. Respeitado guerreiro e homem honrado, Heitor irradiava coragem e bravura no campo de batalha.
Ájax Telamônio, era filho do rei de Salamina, Telamon. Na guerra de Troia, aliado dos gregos, era um guerreiro forte e habilidoso, além de possuir uma estatura magnífica, por isso mesmo, bastante temido.
Certa feita, com a retirada de Aquiles dos combates, uma vez que Agamenon mandara buscar em sua tenda, a amada escrava Briseide, causando sua ira, Heitor e Ájax Telamônio travaram um duelo.
Travar combates com guerreiros ilustres era uma honra para qualquer soldado. Era assim que Heitor e Ájax se sentiam, eufóricos e privilegiados por lutarem com um oponente de igual ou maior valor.
Heitor, na ofensiva, deixa claro a Ájax: “não quero atacar com nenhuma artimanha um inimigo como és, mas, lealmente, tentar alcançar-te”.
A luta entre os dois guerreiros é intensa, difícil, perigosa. As longas e brilhantes lanças de Heitor e Ájax Telamônio voam, mas esbarram nos fortes escudos de bronze de cada um. 
Heitor é ferido no pescoço e continua a lutar, agora, agarra uma pedra e joga em seu oponente. Ájax, com força infinitamente superior, apanha uma pedra enorme e atira contra Heitor, levando-o ao chão. Heitor não desiste e continua resistindo, se levanta e saca a espada, sendo tal gesto imitado por Ájax Telamônio.
Nesse ínterim, dois arautos, do lado grego e troiano, a mando do próprio Zeus, interferem na batalha e dizem para que os contendores ponham um fim ao duelo. 
Com o fim do duelo, Heitor oferece à Ájax Telamônio uma belíssima espada e sua bainha. Este, por sua vez, oferece ao príncipe troiano um fabuloso cinto cor púrpura.
Nenhuma luta é fácil, e é melhor que não seja, pois torna o embate mais emocionante, a vitória mais doce ou a derrota menos amarga.
O que faz uma batalha ser dignificante, é o fato de seus contendores, a despeito das diferenças, lutarem com lealdade, com bravura, sem uso de artifícios, de artimanhas.
Independentemente de nossas motivações, o oponente deve ser sempre respeitado. E terminado o duelo, as mãos devem ser estendidas um ao outro, para que o vencedor e o perdedor aceitem o resultado.
Que nossas batalhas ao longo da vida sejam belas, porque respeitados os nossos opositores; que sejam justas, porque travadas com honra e lealdade; que sejam comemoradas, porque obtidas mediante merecimento.

Grecianny Carvalho Cordeiro
Promotora de Justiça

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…