Pular para o conteúdo principal

Em evento na capital, Prêmio SP de Literatura celebra vencedores

Do Portal do Governo 
Confira os vencedores do Prêmio São Paulo de Literatura 2018
Na noite da última segunda-feira (5), em cerimônia realizada na Biblioteca Parque Villa-Lobos, na capital paulista, foram anunciados os melhores romancistas do ano passado no Prêmio São Paulo de Literatura 2018
Ana Paula Maia, de Nova Iguaçu (RJ), venceu a categoria Melhor Livro do Ano com a obra “Assim na terra como embaixo da terra” (Editora Record). Já Aline Bei, de São Paulo, foi a melhor na categoria Estreantes -40 anos com “O peso do pássaro morto” (Editora Nós) e Cristina Judar, também de São Paulo, levou a Estreantes +40 anos com “Oito do Sete” (Editora Reformatório).
Realização do Governo do Estado, o Prêmio São Paulo de Literatura, o maior do Brasil em premiação individual, é parte importante das políticas de incentivo à produção literária. Pelo primeiro lugar geral, Ana Paula Maia receberá R$ 200 mil, enquanto Aline Bei e Cristina Judar levam R$ 100 mil cada.
Esta edição do Prêmio contou com finalistas de São Paulo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Mato Grosso, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Amazonas.
Ao todo, 157 livros entraram na competição: 98 livros na categoria principal, “melhor livro do ano”, 36 para “autor estreante – mais de 40 anos” e 23 para “autor estreante – menos de 40 anos”. A ênfase no romance é uma característica do Prêmio São Paulo de Literatura desde sua criação, em 2008, inspirado no britânico Man Booker Prize.
Sobre o júri final
Responsável pela definição dos três vencedores, o júri final do Prêmio São Paulo de Literatura foi composto pelos seguintes profissionais do segmento literário: Jiro Takahashi, Mestre em Linguística, membro do Conselho Editorial das revistas Tradução & Comunicação, professor universitário, atualmente docente da Casa Educação e da Universidade Unibero/Kroton; Julián Fuks, escritor e crítico literário, autor de “A resistência”, romance ganhador dos prêmios Jabuti, Saramago e Anna Seghers, mestre em literatura hispano-americana e doutor em teoria literária pela USP; Moacir Amâncio, escritor, jornalista e professor, Doutor em Letras pela Universidade de São Paulo, onde atualmente é professor de Literatura Hebraica; Neide Aparecida de Almeida, socióloga, mestre em Linguística Aplicada ao Ensino pela PUC-SP, docente, pesquisadora e consultora na área de leitura e literatura, especialmente as literaturas negras brasileiras e africanas, atualmente coordena o Núcleo de Educação do Museu Afro Brasil e compõe a equipe de consultores na área relações étnico-raciais do Programa de Direitos Humanos do IBEAC; e Ubiratan Brasil, formado em Jornalismo pela Escola de Comunicações e Artes da USP, atualmente é editor do Caderno 2, do jornal O Estado de São Paulo, com coberturas da Feira do Livro de Frankfurt, da Flip e da entrega do Oscar, entre outros.
Sobre o Prêmio São Paulo de Literatura 2017 
Criado em 2008 pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria da Cultura do Estado, o Prêmio São Paulo de Literatura é o maior do país em valor individual e tem como principais objetivos incentivar a produção literária de qualidade, apoiar e valorizar novos autores e editoras independentes, além de incentivar a leitura.
Desde que foi criado, o Prêmio teve participação de 2.041 livros e premiou 25 romances, contribuindo de forma decisiva para dar visibilidade não só às obras vencedoras, mas também aos trabalhos finalistas.
Finalistas
MELHOR LIVRO DE ROMANCE DO ANO 2017
Ana Paula Maia – Assim na terra como embaixo da terra (Record)
Carol Bensimon – O Clube dos jardineiros de fumaça (Cia das Letras)
Evandro Affonso Ferreira – Nunca houve tanto fim como agora (Record)
Heloisa Seixas – Agora e na hora (Cia das Letras)
Joca Reiners Terron – Noite dentro da noite (Cia das Letras)
Leonardo Brasiliense – Roupas sujas (Cia das Letras)
Marcelo Mirisola – Como se me fumasse (34)
Márcia Barbieri – O Enterro do lobo branco (Patuá)
Micheliny Verunschk – O Peso do coração de um homem (Patuá)
Milton Hatoum – A Noite da espera (Cia das Letras)
MELHOR LIVRO DO ANO DE ROMANCE – AUTOR ESTREANTE COM MAIS DE 40 ANOS
Carlos Eduardo Pereira – Enquanto os dentes (Todavia)
Cinthia Kriemler – Todos os abismos convidam para um mergulho (Patuá)
Cristiano Baldi – Correr com rinocerontes (Não Editora)
Cristina Judar – Oito do sete (Reformatório)
Jose Roberto Walker – Neve na manhã de São Paulo (Cia das Letras)
Leonor Cione – O Estigma de L. (Quelônio)
MELHOR LIVRO DO ANO DE ROMANCE – AUTOR ESTREANTE COM MENOS DE 40 ANOS 
Aline Bei – O Peso do pássaro morto (Nós)
José Almeida Júnior – Última hora (Record)
Mauro Paz – Entre lembrar e esquecer (Patuá)
Tiago Feijó – Diário da casa arruinada (Penalux)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…