Em tempos de tanta tecnologia, sebos mantêm a tradição literária viva em Fortaleza

Nas prateleiras, ele acumula cerca de 40 mil títulos (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)
Nas prateleiras, ele acumula cerca de 40 mil títulos (FOTO: Reprodução TV Jangadeiro)
Você vai conhecer agora locais especiais para quem gosta de ler e de raridades. São os sebos, que apesar da tecnologia, ainda hoje são bastante frequentados.
Wilson pretende montar uma bela biblioteca em casa. Para isso, gosta de garimpar livros em sebos.
Fernando trabalha como livreiro há 35 anos, hoje na travessa Morada Nova, no Centro de Fortaleza. Nas prateleiras, ele acumula cerca de 40 mil títulos, entre clássicos da literatura nacional e estrangeira, livros infantis, didáticos, de idiomas, dicionários, gibis e cordéis, e muitos outros.
No local, o consumidor encontra edições antigas, como a Constituição de 1867, e raridades como o livro de ilustrações de Ademir Martins, que só teve mil cópias impressas. Além de vender, Fenando também troca, compra e até doa alguns títulos.
Outro sebo, na Rua 24 de Maio, no Centro, existe há 20 anos. É um dos mais tradicionais da cidade, com um acervo com mais de 200 mil títulos. O preço varia de R$ 2 a R$ 100. Mas tem quem passe só para ler de graça, e seu Geraldo não se incomoda.
São estantes a perder de vista. Ele abriga livros raros, como um de Afranio Peixoto datado de 1921.
Tribuna do Ceará

Comentários

Mais Visitadas

Babel: Primavera Literária Brasileira anuncia programação – agora também com autores estrangeiros

Um continente e sua escrita

Filme sobre Marighella é resposta artística a cenário político brasileiro, diz Wagner Moura

Prêmio Sesc de Literatura encerra inscrições na quinta-feira (14)