Pular para o conteúdo principal

Recife vai sediar sua primeira feira literária infantil

Maria Chaves, da Proa Cultural, Ricardo Leitão, da Cepe, e Margarida Cantarelli, da APL, em coletiva à imprensa
Maria Chaves, da Proa Cultural, Ricardo Leitão, da Cepe, e Margarida Cantarelli, da APL, em coletiva à imprensaFoto: Arthur Mota / Folha de Pernambuco
O Recife terá, neste mês de novembro, a sua primeira feira exclusivamente voltada para as crianças. A I Feira da Literatura Infantil (Flitin) vai acontecer entre os dias 22 e 25 de novembro e espera atingir a um público de 30 mil pessoas ao longo de seus quatro dias de funcionamento.

Toda a programação será gratuita, com venda de livros de 12 editoras, shows, mediação de histórias e oficinas voltadas para crianças, adolescentes, pais e professores. O tema desta primeira edição será “Era uma vez…Minha História” - ao mesmo tempo, uma referência ao início de muitas narrativas infantis e à proposta de se inserir a criança como protagonista tanto do evento, como da própria vida que está sendo escrita.

A Flitin está sendo realizada pela Companhia Editora de Pernambuco (Cepe), que já é responsável por outros eventos do gênero no Estado (como a Fenelivro, no Recife; a Fenagreste, em Caruaru; e a Felis, em Arcoverde). Na nova iniciativa, a Cepe vai trabalhar em parceria com a Academia Pernambucana de Letras (APL), que sediará o evento, e com a Proa Cultural - agência de marketing cultural e projetos que realiza o Festival Internacional de Literatura Infantil de Garanhuns - Filig, que já está em sua quarta edição. 
Ele lembrou também que o segmento infantojuvenil cresceu nos últimos anos, indo de encontro à retração de 21% sofrida pelo mercado editorial brasileiro entre 2006 e 2017, de acordo com pesquisa da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas - Fipe. E citou a preocupação da editora em produzir livros voltados para o público, com um catálogo de 53 títulos, alguns dos quais premiados, além de promover anualmente o Prêmio Cepe Nacional de Literatura Infantojuvenil.

A Flitin ocorre em um espaço privilegiado: os jardins da APL, cuja sede na avenida Rui Barbosa foi recentemente reformada e entregue ao público. Durante o período, os interessados poderão também ter acesso gratuito ao museu da entidade (que normalmente é pago, no valor de R$ 10). 
 
Segundo o presidente da Cepe, Ricardo Leitão, estão sendo investidos R$ 350 mil no evento, embora nesta primeira edição seja esperado um volume de vendas de R$ 10 mil. "A expectativa é baixa, mas não podemos esquecer que estamos subsidiando a formação de novos leitores", apontou.
"Vamos oferecer visitas guiadas com linguagem adaptada ao público infantil", adiantou a presidente da APL, Margarida Cantarelli. "A proposta da Flitin vem ao encontro de um de nossos propósitos, que é incentivar a leitura e atrair os jovens para as atividades da academia", apontou.
A Cepe vai ceder ônibus gratuitos para trazer alunos do ensino fundamental para o evento, e com apoio da Proa Cultural está organizando cinco polos com atrações, que vão ocupar os oito mil metros quadrados de espaço da APL - que conta com acesso privilegiado de transporte vindo de todo o Recife e mais de cem vagas para automóvel.

Entre os eventos já confirmados, haverá apresentações de teatro - como "O Pequeno Príncipe Preto" (do Grupo Pé de Vento, do Rio de Janeiro) e "As Aventuras de Mané Gostoso" (Cia Meias Palavras, de Pernambuco); uma oficina sobre como ilustrar um livro infantil, produzida pelo escritor e artista plástico Walther Moreira Santos; e uma oficina de musicalização com a cantora Cláudia Soul (Cacau, da banda Mini Rock).


Serviço:
I Feira da Literatura Infantil - Flitin
Quando: de 22 a 25 de novembro
Onde: Academia Pernambucana de Letras (avenida Rui Barbosa, 1596, Graças)
Entrada franca

Fonte: Folhape

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…