Pular para o conteúdo principal

Viagem pela Literatura levou incentivo à leitura para 9,1 mil pessoas este ano

O Viagem pela Literatura tem como objetivo estimular o interesse pela leitura entre crianças, adolescentes, jovens e adultos de forma lúdica, por meio de atividades desenvolvidas por atores, escritores, contadores de histórias e músicos

Redação Folha Vitória
O projeto Viagem pela Literatura, da Biblioteca Municipal Adelpho Poli Monjardim, encerra na próxima quarta-feira (5) mais um ano de atividades de incentivo à prática da leitura em Vitória.
Desenvolvido pela Secretaria Municipal de Cultura (Semc) desde 1994, o projeto registrou em 2018 um público de 9.132 participantes em 96 apresentações de contação de histórias, peças teatrais baseadas em livros, oficinas e cursos para contadores de histórias, oficina de poesia, círculo de leitura, encontro com escritores, sarau poético e leitura em parques e praças.
O evento de encerramento acontece no auditório Zemar Moreira Lima, no Palácio Municipal, das 14 às 16 horas. Serão apresentados resultados do projeto e reforçadas as relações de integração entre comunidade, biblioteca e escola. Além disso, haverá a atividade "Viver o Livro ao Vivo e em Cores", com a peça "Para Sempre Rapunzel", do Grupo Teatral Gota, Pó e Poeira.

Arte da palavra

O secretário municipal de Cultura, Francisco Grijó, enfatiza a abrangência e a potência do Viagem pela Literatura como política pública cultural. "Nos últimos anos, esse projeto tem levado o prazer pela leitura a crianças, adolescentes e jovens que se interessam pela arte da palavra. A Semc atua como vetor para que autores, livros e leitores possam, cada vez mais, interagir. Sabemos que, dessa forma, formamos cidadãos que compreendem a importância da leitura".

Resultados

Este ano, as atividades foram desenvolvidas em 26 espaços de 21 bairros, como praças, parques, escolas, Cajuns, Cras, teatros, quadras de esportes, sedes de movimentos comunitários e na própria Biblioteca Municipal. No total, 72 instituições educacionais participaram do projeto.
"Com esses números, podemos ver que o projeto vem cumprindo sua missão de garantir a todos a igualdade de oportunidade de acesso democrático à leitura, ao livro e à cultura", disse Elizete Caser, coordenadora da Biblioteca Municipal Adelpho Poli Monjardim.

Histórico

Ao longo de 24 anos, mais de 100 mil pessoas já participaram das atividades do projeto, que foi destaque no Mapa de Ações do Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL) dos ministérios da Cultura e da Educação, no Fórum do Plano Nacional do Livro e Leitura e no Seminário de Bibliotecas Públicas e Comunitárias, em 2008.
No ano anterior, recebeu o Selo do Prêmio Cultura Viva do Ministério da Cultura e, em 2012, venceu o prêmio "Vitória Inovando", na categoria Gestão Participativa e Inclusão Social, promovido pela Prefeitura de Vitória.
Em 2016 e 2017, o projeto foi selecionado por meio de edital do Conselho Municipal da Criança e do Adolescente (Concav) – Fundo da Infância e Adolescência (FIA).

Serviço

Encerramento do projeto "Viagem Pela Literatura"
Data: 5 de dezembro (quarta-feira), a partir das 14 horas
Local: auditório Zemar Moreira Lima, no Palácio Municipal
Aberto ao público
Programação
14h – Abertura e apresentação dos resultados
14h15 – Apresentações culturais
Musical “O Ratão” e “O Casamento de Dona Baratinha”, apresentados pelos alunos da Emef Mauro Braga, de Caratoíra, sob a coordenação da professora Maria da Penha Dantas
Recital poético com Kika Amorim e Ramon Santos, resultante da Oficina de Poesia RAPcomVERSOS, realizada por John Conceito
Ciranda Cajun, com histórias cantadas apresentadas pelas crianças do Cajun do Romão, sob a coordenação dos educadores Camila Marchi e Frederico Faria
Apresentação do Grupo de Contadores de Histórias Chão de Letras
15h - Apresentação da atividade “Viver o Livro ao Vivo e em Cores”, com a peça teatral “Para Sempre Rapunzel’’ ,baseada no clássico da literatura infantil, com o Grupo Teatral Gota, Pó e Poeira
16h - Encerramento.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…