Pular para o conteúdo principal

A incrível odisseia de uma criança deficiente para ir à escola na Indonésia

Seus pés deformados e pernas curtas não permitem que ele alcance mais do que a altura do quadril de seus colegas de classe.
Mukhlis Abdul Holik, menino indonésio deficiente de oito anos, utiliza as mãos para ir até a escola em Sekarwangi, na província de Java, em 15 de dezembro de 2018
Mukhlis Abdul Holik, menino indonésio deficiente de oito anos, utiliza as mãos para ir até a escola em Sekarwangi, na província de Java, em 15 de dezembro de 2018 (AFP)

Um menino indonésio de oito anos, que sofre uma deficiência física severa, consegue superar todos os obstáculos a cada dia para chegar à escola.
Mukhlis Abdul Holik, que não pode ficar de pé, percorre uma distância de cerca de seis quilômetros até a escola rastejando ou caminhando em suas mãos, que ele protege com sandálias.
Seus pés deformados e pernas curtas não permitem que ele alcance mais do que a altura do quadril de seus colegas de classe.
Apesar de sua deficiência, ele consegue atravessar os mesmos caminhos pedregosos e passar pela mesma ponte de madeira que as outras crianças para chegar ao colégio, no oeste da ilha de Java, acompanhado por sua mãe.
"A estrada é íngreme, mas todo dia ele chega lá", explica Pipin, sua mãe, que, como muitos indonésios, tem apenas um nome.
"Quando temos dinheiro ele pega um moto-táxi, mas quando temos dificuldades, ele precisa se arrastar. Mas nunca reclama, faça chuva ou faça sol vai à escola", acrescenta.
A façanha do garoto atraiu atenção no país de 260 milhões de habitantes e possibilitou um encontro no início deste mês com o presidente Joko Widodo, no Dia Internacional das Pessoas com Deficiência.
"Quando nos conhecemos, perguntei a Abdul se ele queria alguma coisa", explicou o presidente em um comunicado. "Pensei que ele iria pedir um presente, mas ele apenas disse que queria ir para a faculdade", acrescentou.
"Quero ser bombeiro, médico ou astronauta", disse a criança à AFP.

AFP

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08