Compositor e executivo estreia na literatura com narrativas improváveis

Contos de Aloysio Reis transitam do realismo fantástico ao romance policial

um homem de cabelo branco e roupa preta
Aloysio Reis, que lança o livro 'Rio Vermelho e outros relatos improváveis' - FrPhotos/Divulgação
Ivan Finotti
SÃO PAULO

Letrista de 142 músicas gravadas por Roberto Carlos, Xuxa e Ney Matogrosso, entre outros, e executivo musical de empresas como Sony e EMI, Aloysio Reis se lança como escritor em "Rio Vermelho e Outros Relatos Improváveis".
O lançamento em São Paulo é às 19h desta quinta (6), na livraria Blooks do shopping Frei Caneca.
São cinco contos que transitam em diversos gêneros, do realismo fantástico ao romance policial. O que une todos é a grande inspiração autobiográfica.
"Vale das Videiras", por exemplo, segue as façanhas do repórter policial Cocheiro de Vampiro, do jornal "Última Hora", no encalço de um assassino, em 1975, que usou o sangue e as vísceras de uma família para desenhar uma cena de linchamento no quarto do casal.
"É uma história quase real", conta Reis, 64, que trabalhou mesmo como repórter policial do "Última Hora" por dois anos, começando aos 17. "Houve o crime e eu fui o repórter. E cheguei a falar com o assassino por telefone, conforme a cena descrita no texto."
O conto que dá nome ao livro, passado no fim do século retrasado, é uma história sobrenatural inspirada por seu avô. "Certa noite, ele voltava de mula para a fazenda e o bicho empacou. Não teve jeito de avançar. Até que meu avô percebeu uma onça no alto de uma pedra logo à frente. A mula salvou sua vida". A cena está em "Rio Vermelho".
O livro foi escrito nos últimos dois anos. "Meu sonho é ser escritor. Por isso fiz jornalismo. Mas a música acabou sendo minha carreira. Agora chegou a hora."
"Purple Haze", também nome de música de Jimi Hendrix, leva o leitor às aventuras do autor quando estudante, embalado por drogas psicodélicas e envolvido em problemas com a polícia e a repressão da ditadura.
A ditadura volta no texto final, "O Testamento", um pesadelo burocrático e de tortura com forte crítica ao militarismo.

Rio Vermelho e Outros Relatos Improváveis
Autor: Aloysio Reis. Autografia: R$ 49, 90 (240 págs.)
Folha UOL

Comentários

Mais Visitadas

Alagoano que dirigiu filme que teve cenas gravadas em Penedo toma posse na ABL

Literatura e cinema ajudaram a tornar Notre-Dame conhecida no mundo

Principal nome da literatura feita para crianças no Ceará, Horácio Dídimo, morto em 2018, pode ser homenageado em Dia Estadual da Literatura Infantil

Herança do governo golpista

Catedral de Notre-Dame, em Paris, sofre incêndio na tarde desta segunda-feira