Pular para o conteúdo principal

Masp conclui restauro da obra 'Anunciação', de El Greco

Para executar o restauro, é necessário um trabalho não apenas técnico, mas com um estudo profundo sobre o pintor
Obra do pintor grego Doménikos Theotokópoulos, mais conhecido como El Greco, é do século XVII.
Obra do pintor grego Doménikos Theotokópoulos, mais conhecido como El Greco, é do século XVII. (lustração/Reprodução/Wikipedia))

Há três anos, a restauradora brasileira Regina Costa Pinto Dias Moreira, profissional que atua no Museu do Louvre, em Paris, realiza um trabalho em parceria com o Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand, o Masp, para restaurar obras do acervo. O mais recente, na obra Anunciação (cerca de 1600), do pintor grego Doménikos Theotokópoulos, mais conhecido como El Greco, acaba de ser concluído.

"A obra necessitava de uma intervenção de restauração da camada pictórica, que se apresentava com desgastes", explica a restauradora, que já trabalhou em quadros de artistas como Manet Poussin e Da Vinci. Segundo Regina, os danos foram causados por restauros feitos anteriormente na obra. "Foram consequentes de operações sucessivas de limpezas abusivas, com dissolventes inadequados, com repintes transbordantes e alterados sobre os diversos relevos e lacunas."

Para executar o restauro, é necessário um trabalho não apenas técnico, mas com um estudo profundo sobre o pintor, suas pinceladas e outras obras feitas sobre os mesmos assuntos. "Trata-se de um trabalho de equipe, cuja colaboração interdisciplinar é indispensável para a boa compreensão da obra e boa execução do trabalho", afirma Regina.

O restauro feito foi principalmente de ordem estética. "Para restabelecer a leitura da obra e uma melhor apreciação das cores e das formas." O processo é minucioso, lento e, principalmente, "discreto", na opinião de Cecília Winter, responsável pelos núcleos de acervo, conservação e restauro do Masp. "Tem que ser o mais discreto possível", ela afirma. "É um trabalho ingrato. Se fica bom, ninguém percebe. Você tem que olhar a obra e ver o El Greco, e não a Regina."

Winter explica que, hoje, muitos museus no mundo inteiro precisam restaurar obras não por sua deterioração natural, mas porque passaram por intervenções traumáticas. A de El Greco, possivelmente, é uma delas. "É uma tendência mundial, que a gente, infelizmente, não escapa. Nos anos 2000 houve uma revisão muito grande do que é, exatamente, o restauro", ela conta. "Hoje acaba sendo um trabalho de refazer o que os restauradores dos anos 1970 e 80 fizeram, mais do que intervir nas obras. Há obras por exemplo, que não eram para ter sido envernizadas e que foram."

Outros restauros
O Masp é um museu privado, mas sem fim lucrativos. Os principais montantes para o restauro de obras vêm, basicamente, de doações, muitas delas por meio de programas de incentivo fiscal. O restauro da obra de El Greco, por exemplo, vem de um patrocínio da Fundação Scavarelli, que já há alguns anos é a responsável por trazer Regina ao Masp. Há ainda parcerias com a Braskem e o museu está em tratativas junto ao BNDES para aprovação final de um grande projeto de restauração, conservação e modernização do edifício e do acervo - a própria conservação do prédio é, também uma medida preventiva para as próprias obras.

Enquanto as doações específicas para grande obras de restauro não chegam, no dia a dia do Masp, uma equipe de apenas duas pessoas trabalha na conservação e pequenos restauros de algumas obras. A verba para a equipe vem do orçamento anual do museu, que também vem, em grande parte, de doações.

Atualmente, a lista de obras na fila para restauro tem apenas trabalhos que a curadoria gostaria de expor, seja nos cavaletes de vidro do Acervo em Transformação ou em exposições temporárias. Segundo Winter, o museu busca um aporte para fazer uma reestruturação da área de restauro para fazer um levantamento, peça por peça, nos mais de 10 mil itens do acervo do museu, para então ir atrás de gente especializada.

"Queremos conseguir um restaurador de papel, foto, madeira, metal, cerâmica. De pintura europeia e de pintura brasileira também, por conta das diferenças técnica e complexidade dos materiais", ela explica. "Para então criar uma ficha que vai olhar cada uma dessas obras, dando conta da especificidade de cada material e com índices que sejam transversais à toda coleção." Segundo Winter, não há, no Masp, no momento, nenhuma obra que precise de restauro urgente ou corra risco de ser irreversivelmente danificada. Há, apenas, obras que precisam de restauro preventivo, antes que sejam danificadas, e outras que precisam de restauro por motivos estéticos, para uma melhor leitura do trabalho.

Atualmente, o Masp também tem conseguido realizar alguns restauros com o apoio financeiro de pessoas físicas, por meio da doação do imposto de renda. Com a campanha "Adote uma obra", no ano passado foram arrecadados R$ 233 mil, que foram usados para restaurar O Escolar (1889), de Van Gogh, no próprio museu do artista, em Amsterdã. Com o dinheiro arrecadado em 2018, a próxima obra a passar por restauros será Retirantes (1944), de Cândido Portinari.

Por contar com a doação de muitas pessoas, a campanha para as pessoas físicas precisa apresentar, segundo Winter, obras de grande apelo popular, o que deixa muitas outras de fora. "Tem um Frans Post que a gente gostaria de restaurar, mas ficamos nessa dúvida, o que apresentar para conseguir ter uma atração maior? Para convencer cada doador, um Portinari funciona melhor."

Agência Estado

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…