Pular para o conteúdo principal

Bauru vira patrimônio cultural de São Paulo

Em 1937, atrasado para um jogo de sinuca, um estudante de Direito pediu para um funcionário da casa montar o sanduíche ao seu gosto.
Sanduíche foi criado pela lanchonete Ponto Chic em 1937. Nome faz referência à cidade natal do cliente.
Sanduíche foi criado pela lanchonete Ponto Chic em 1937. Nome faz referência à cidade natal do cliente. (Ponto Chic/Divulgação)

O tradicional sanduíche Bauru - combinação de pão, rosbife, queijo e tomate, criada em 1937 em um tradicional restaurante da capital paulista - agora é considerado patrimônio cultural imaterial de São Paulo. A lei 16.914, aprovada pela Assembleia Legislativa de São Paulo, foi promulgada pelo ex-governador Márcio França (PSB) no dia 28 de dezembro e publicada no Diário Oficial no dia seguinte.

A lei é de autoria do deputado Celso Nascimento (PSC). "É uma exaltação à cidade de Bauru, pois o lanche leva seu nome e é conhecido por todo o Brasil.", afirmou o parlamentar, ao site da Assembleia.

Além do projeto em âmbito estadual, há outras iniciativas para tornar o sanduíche patrimônio público cultural brasileiro. Uma delas é do deputado federal Coronel Augusto (PR).

O dono da receita, Casimiro Pinto Neto, era conhecido como ‘Bauru’ entre seus colegas na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, no Largo de São Francisco.

Na justificativa do projeto de lei, o deputado conta a história do lanche, criado no Ponto Chic, restaurante fundado em 22 de março de 1922.

O dono da receita, Casimiro Pinto Neto, era conhecido como "Bauru" entre seus colegas na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo, no Largo de São Francisco.

Diz a história que foi em 1936 que, atrasado para um jogo de sinuca, ele pediu para um funcionário da casa montar o sanduíche ao seu gosto pela primeira vez.

"Era um dia que eu estava com muita fome. Cheguei para o sanduicheiro Carlos e falei para abrir um pão francês, tirar o miolo e botar um pouco de queijo derretido dentro. Depois disso o Carlos já ia fechando o pão eu falei: ‘calma, falta um pouco de albumina e proteína nisso’. Eu tinha lido em um opúsculo livreto de alimentação para crianças, da Secretaria de Educação e Saúde, escrito pelo ex-prefeito Wladimir de Toledo Pisa, também frequentador do Ponto Chic, que a carne era rica nesses dois elementos. Então, falei para botar umas fatias de rosbife junto com o queijo. E já ia fechando de novo quando eu tornei a falar: falta vitamina, bota aí umas fatias de tomate. Este é o verdadeiro Bauru", disse Casemiro em depoimento publicado enquanto vivo.

"Bauru" morreu em dezembro de 1983, aos 69 anos.



Agência Estado

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08

Campus Party 2018 vendeu 30% a mais de ingressos que edição anterior

A feira de tecnologia Campus Party Brasília 2018 foi encerrada hoje (1°), após ter reunido milhares de pessoas em torno de palestras, oficinas e atividades com temas como o uso da tecnologia da computação, robótica, empreendedorismo e startups. Essa é a segunda edição do evento em Brasília, que começou no dia 27 de junho, no Estádio Nacional Mané Garrincha. Antes prevista para acontecer de 30 de maio a 3 de junho, a feira foi adiada para esta semana por causa da greve dos caminhoneiros. De acordo com o diretor da Campus Party Brasil, Tônico Novaes, o evento contabilizou um volume de vendas de ingressos pelo menos 30% maior que a primeira edição da Campus Party em Brasília, realizada no ano passado.  Para Tônico Novaes, a edição no Distrito Federal se destacou pela elevada participação e envolvimento dos que estão no evento.  “Os campuseiros daqui são realmente engajados no conteúdo. Andando por aqui você vai ver todos os workshops e bancadas cheias e a estrutura está bem maior que a …