Escritora admirável

Por 
Romancista, cronista, poetisa, Grecianny Carvalho Cordeiro ocupa lugar de destaque no território das letras cearenses, como uma das expressões mais vigorosas da nova geração de literatos.
Dotada de dons especiais de sensibilidade e imaginação, suas narrativas são claras, harmoniosas, agradáveis, em linguagem escorreita, tudo de sorte a despertar vivo interesse no espírito do leitor.
Seus romances – “Troia – Uma viagem no tempo” (2012) e sua sequência, “Troia – Uma viagem para o futuro” (2018); “Operação Prometeu: Os bastidores do tráfico de órgãos” (2016), “Anjo caído” (2009) e “Marcas da inocência” (2014) –, construídos com extraordinário engenho e originalidade, bem estruturados, encadeamento lógico das ideias, revelam a maturidade intelectual da jovem escritora. Na poesia, também confirmou seu talento, com os dois volumes de “Poemas a quatro mãos”, em parceria com o poeta carioca Luiz Gondim. 
Além de grande conhecedora da mitologia e da história grega, romancista de largos méritos, a ilustre Promotora de Justiça também sobressai no campo das letras jurídicas, de que são exemplos as valiosas obras “Penas alternativas – Uma abordagem prática” e “Privatização do sistema prisional brasileiro”. Ambos já chegaram a uma segunda edição.
Infatigável no labor intelectual, suas crônicas, publicadas na imprensa, dão bem as mostras do seu talento, da sua acuidade na análise e interpretação dos fatos, vez por outra a criticar, com admirável independência, os erros de legisladores, governantes e magistrados.
Instada, por amigos a candidatar-se à Academia Cearense de Letras, aceitou o desafio. Se eleita, mercê de seus méritos intelectuais, Grecianny Carvalho Cordeiro será mais uma estrela na constelação de mulheres admiráveis que iluminam a nossa centenária Academia.

Comentários

Mais Visitadas

Babel: Primavera Literária Brasileira anuncia programação – agora também com autores estrangeiros

Um continente e sua escrita

Filme sobre Marighella é resposta artística a cenário político brasileiro, diz Wagner Moura

Nova edição de 'Grande Sertão: Veredas' deve atrair e formar novos leitores