Pular para o conteúdo principal

Morre no Rio, aos 42 anos, o ator Caio Junqueira, de 'Tropa de Elite'

Caio Junqueira trabalhou em várias novelas e séries televisivas. Também interpretou o aspirante Neto, no filme Tropa de Elite, lançado em 2007.
Caio Junqueira interpretou o aspirante Neto, no filme Tropa de Elite, lançado em 2007.
Caio Junqueira interpretou o aspirante Neto, no filme Tropa de Elite, lançado em 2007. (Reprodução Filme Tropa de Elite)

O ator Caio Junqueira, conhecido por papéis em novelas da Globo e no filme "Tropa de Elite", morreu, aos 42 anos, nesta quarta-feira, 23. Ele sofreu grave acidente na quarta-feira passada, dia 16, no Aterro do Flamengo, no Rio de Janeiro. O carro que ele dirigia capotou e ele foi socorrido e levado para o Hospital Miguel Couto.
Caio começou a carreira ainda criança, aos 9 anos, no programa "Tamanho Família", na extinta TV Manchete, ao lado de nomes como Diogo Vilela e Zezé Polessa. Em 1988, estreou na Globo, no humorístico "Grupo Escolacho", com texto de Miguel Falabella, Luiz Carlos Góes e Leo Jaime, e redação final de Chico Anysio.
Depois, fez participação em outras produções da emissora, como na novela "Barriga de Aluguel", em 1990, e nas minisséries "Engraçadinha", em 1995, "Hilda Furacão", em 98, e "Chiquinha Gonzaga", em 99. Foi no remake de "A Escrava Isaura", em 2004, que o ator destacou-se vivendo o personagem abolicionista Geraldo. Seu último trabalho na Globo foi na novela das 6 "Desejo Proibido", exibida entre 2007 e 2008.
Em 2009, estreou na Record, na série "A Lei e o Crime". No canal atuou ainda em produções como "Ribeirão do Tempo", em 2010, em que viveu seu primeiro protagonista. Em 2016, participou da série "1 Contra Todos", da Fox, e em 2018, fez Ricky na polêmica série "O Mecanismo", de José Padilha, disponível na Netflix.
No cinema, o ator trabalhou em filmes consagrados, como "O Que É Isso, Companheiro?", em 97, e "Central do Brasil", em 98, mas foi em "Tropa de Elite", lançado em 2007 e dirigido por Padilha, que ganhou projeção com a grande repercussão conquistada pelo longa. No filme, ele interpreta o policial militar Neto Gouveia, jovem impulsivo que sonha em entrar no Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope).
Ator talentoso e carismático, Caio Junqueira era filho do ator Fábio Junqueira e irmão do ator Jonas Torres.

Agência Brasil/Agência Estado/DomTotal.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…