Paulistanos fazem 'maratona' de eventos de pré-carnaval até março

Em frente à festa, paetês, purpurina, fantasias e adereços já sinalizavam que se tratava de um evento de pré-carnaval.


Somente neste último fim de semana, a cidade de São Paulo teve mais de dez eventos com a temática, em sua maioria em ambientes fechados.

Somente neste último fim de semana, a cidade de São Paulo teve mais de dez eventos com a temática, em sua maioria em ambientes fechados. (Renato S. Cerqueira/ Estadão Conteúdo)
Muitos paulistanos não aguentaram esperar mais seis semanas e já estão em clima de carnaval. Somente neste último fim de semana, a cidade de São Paulo teve mais de dez eventos com a temática, em sua maioria em ambientes fechados. Mesmo com ingresso pago, as festas atraíram foliões e, em alguns casos, até esgotaram os ingressos.

Uma das principais festas de blocos de carnaval foi realizada no domingo, 20, pelo Tarado Ni Você, que já acumula cinco anos nas ruas paulistanas, tocando exclusivamente músicas de Caetano Veloso. Em festa no centro, com 400 ingressos esgotados (vendidos entre R$ 35 e R$ 55), ele lançou o tema do desfile de 2019: "Gente é pra brilhar!"

O tema é inspirado na canção "Gente", do álbum "Bicho", de 1977, que também traz sucessos como "Odara", "Tigresa" e "Um Índio". "A gente acredita que a revolução também pode ser pelo riso", explica a empresária Raphaela Barcalla, fundadora do bloco ao lado do fotógrafo Thiago Borba e do artista Rodrigo Guima.

Com o dinheiro arrecado, o bloco realizará uma festa de rua em fevereiro e um desfile no dia 2 de março, com saída da esquina das Avenidas Ipiranga e São João.

Em frente à festa, paetês, purpurina, fantasias e adereços já sinalizavam que se tratava de um evento de pré-carnaval. "Gosto de dançar, gosto da alegria, a coisa que eu mais gosto é música boa", conta a cineasta Renata Castanhari, de 34 anos, que já foi em três eventos carnavalescos em 2019. "Agora carnaval (em São Paulo) é de verdade e sério. Vou toda semana até o carnaval."

O professor de inglês Eric Amorim, de 26 anos, também pretende comparecer a festas carnavalescas nos próximos fins de semana até março. "Já fui ao (bloco) Charanga do França na semana passada. Dizem que já está até maior do que o Rio. Aqui é bem democrático. Todo fim de semana a partir de agora, eu estou na rua."

O cenógrafo Flávio Malaguti, de 31 anos, por outro lado, vai aproveitar mesmo é o pré-carnaval, já que pretende passar o feriado em Belo Horizonte. "Gosto do carnaval daqui, ainda mais porque moro no centro. Acho legal pela vibe de rua, de ocupar a rua."

Já a advogada Vitória Lara, de 54 anos, vestia um look com adereços em formato de folha, que combinavam com o amigo, o publicitário Flávio Sadalla, de 50 . "Agora o carnaval de São Paulo está igual ao do Rio e de Salvador. Como melhorou muito, vou ficar aqui. O Tarado (Ni Você) é o meu bloco preferido. Onde eles vão, a gente vai."

Agência Estado

Comentários

Mais Visitadas

Babel: Primavera Literária Brasileira anuncia programação – agora também com autores estrangeiros

Um continente e sua escrita

Filme sobre Marighella é resposta artística a cenário político brasileiro, diz Wagner Moura

Nova edição de 'Grande Sertão: Veredas' deve atrair e formar novos leitores