A nossa palavra

Por 
A releitura de um livro nos colocou o tema de hoje. Relembramos as crônicas do jornalista cearense Blanchard Girão (1929 - 2007). O intrépido redator era pontual ao meio-dia no horário de rádio. A crônica: “A Nossa Palavra”, transmitido pela Rádio Dragão do Mar. Desabafos nossos. Linguagem de verdadeira cidadania. Viés político de coragem para dizer o que ficava entalado no jogo emocional de quem assistia aos avanços ditatoriais do Governo de exceção nascido após a derrocada da democracia.
Blanchard escrevendo em trincheira de resistência. Vocabulário forte. Vibrante. Corajoso. Essencialmente nacionalista. Textos especiais foram condensados em livro, no ano de 2005. “Só as Armas Calaram a Dragão” teve lançamento na forma da literatura que empolga. Agora, o livro paira sobranceiro no silêncio das estantes. A releitura atual teve o condão de despertar o redator deste canto de página para sustentar princípios de amor à Pátria. Resta-nos pedir a Deus a correção dos rumos desta democracia que se sedimenta por votos.
O Brasil sempre terá um comando de idealistas, mesmo dos que permanecem saudosos dos seus líderes da boa escrita. Blanchard Girão detalhou o silêncio da emissora da rádio Dragão do Mar e deixou escrito de relevância para uma leitura sempre atual. “A Nossa Palavra” marcou época na radiofonia cearense, numa transposição literária firmada em livro. Jornalista escritor tem sempre o seu lugar no quadro da história viva de um povo. Reler bons livros dá a tônica da superioridade do que se contém em obras editadas.

“A Nossa Palavra” perpetuada nas recordações históricas. Excelente motivação para sustentar o conceito de democracia que tanto nos anima. Saudade do Blanchard Girão e de toda uma plêiade dos bons jornalistas cearenses que se vocacionavam através do rádio – esse fenômeno tão bem definido como “imprensa falada”.

Comentários

Mais Visitadas

Alagoano que dirigiu filme que teve cenas gravadas em Penedo toma posse na ABL

Exposição "Gesto Tempo" apresenta diversas formas de bordar

Literatura e cinema ajudaram a tornar Notre-Dame conhecida no mundo

Academia Brasileira de Letras doa livros para índios guaranis no Rio

Catedral de Notre-Dame, em Paris, sofre incêndio na tarde desta segunda-feira