Pular para o conteúdo principal

LIÇÕES DA HISTÓRIA

A História possui ciclos, mas jamais caminha em círculos. Segue sempre adiante, com avanços, com recuos, progressos e retrocessos. A exemplo da vida. 
A grande beleza da História são as lições que dela podemos extrair, dos fatos, dos heróis e dos vilões, mesmo daqueles cujos nomes jamais serão inscritos nos livros e que, ainda assim, fizeram história. 
Anne Franke. A menina judia que ficou escondida com a família no sótão do imóvel onde funcionava a empresa de seu pai, em Amsterdam, quando da invasão nazista na Holanda, sempre nos emociona e deve servir de exemplo para todos nós. 
A história de Miep Gies, a mulher que ajudou a esconder Anne Franke e sua família, se arriscando para protegê-los, também não deve ser esquecida.
Anne Franke era uma menina como outra qualquer. Desejava ir à escola, brincar com os amigos, se divertir, passear... Mas isso não foi possível. Teve que ficar confinada por anos em um sótão para tentar livrar-se dos campos de concentração nazistas. 
Ainda assim, Anne Franke encontrou uma forma de compensar suas frustrações, seus medos,seus anseios: escreveu um diário que, até hoje, faz enorme sucesso, nos lembrando dos terríveis anos da Segunda Guerra Mundial. 
Em seu diário, Anne Franke diz em uma das passagens, fixada na parede do museu erigido em sua homenagem: “Quando eu escrevo, posso livrar-me dos tantos cuidados. Minhas preocupações desaparecem, meu espírito reaviva!”
 O horror nazista, as perseguições aos judeus, os campos de concentração, com a finalidade de exterminar os “indesejados”, a pretexto de deixar somente os “puros de sangue”, são registros que devem sempre ser lembrados, para que a História jamais se repita.
Anne Franke, essa menina que tão cedo perdeu a vida em Auschwitz, nos ensina justamente isso: a dor causada por perseguições inexplicaveis, provocadas pela maldade humana, jamais permitiu que a esperança morresse.
Miep Gies, que arriscou sua vida para proteger e abrigar a família judia de Anne Franke, mesmo sabendo que isso poderia custar-lhe muito caro, não a impediu de fazer o que considerava justo e correto.
Que a História possa sempre nos ensinar, para isso, precisamos estar plenos e abertos para aprender. 

-Grecianny Carvalho Cordeiro
Promotora de Justiça

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…