Pular para o conteúdo principal

O vírus do amor…

... e mais alguns
pixabay
Algumas frases que talvez agradem aos leitores das sextas-feiras, pelo menos por um detalhe: são todas curtíssimas.
+++
ANTÍDOTO
Tantas doenças no mundo.
Quem nos injetará nas veias
o maravilhoso vírus do amor?

RESPOSTA
Disse amor olhando para o céu
e sua boca instantaneamente
se encheu de estrelas.

SECTARISMO
Se Priscylla Mariuszka Moskevitch fosse a sacerdotisa de uma seita, eu seria o mais fanático dos seus seguidores e morreria por ela na fogueira.

CAOS
No início era só o verbo, e tudo era fácil. Depois a gramática começou a gerar substantivos, adjetivos e advérbios. Era já o prenúncio de calamidades como a crase.

VOO
Se um dia Plácida Mangels Martinovska passar voando, criarei asas na hora, ou maldirei Deus.

INQUISIÇÃO
Se Petra Martucci Martelli for levada a um tribunal por feitiçaria, serei a primeira testemunha de acusação. Deixarão um sapo depor?

TESTEMUNHO
Irmão, aleluia. Vou me livrando dos pecados. Antes, batia nos meus pais e era viciado no amor carnal. Hoje, só bato nos meus pais.

REFORMAS
A língua portuguesa não chega a ser difícil. Quando está quase conseguindo, muda tudo.

NO ASILO
A irmã de caridade:
“Seu Tobias, outra vez esse pijama babado…”
“Não é baba. São lágrimas de amor.”

BUSCA E APREENSÃO
“Ciúme, eu? Pode me revistar.”

VOCÁBULO
Amor, até a minha baba sabe dizer o seu nome.

PRESENTE
No meu aniversário meu amor me deu uma camisa de força.

LANCE
O amor foi generoso comigo: matou-me, mas poupou-me a língua, para que eu possa exaltá-lo.

ABSURDO
Eu gostaria de escrever um livro tão maravilhoso que fosse impossível alguém – até mesmo eu – acreditar ter sido feito por mim.

REFLEXÃO DE UM RELÓGIO BRASILEIRO
“A lei, hora, a lei.”

MÉRITO
Recordando agora, o amor nos parece ainda mais digno de todas as loucuras que por ele fizemos e de outras tantas que deveríamos ter feito.

SABORES
O amor me ofereceu tantas iguarias que o gosto da vida passou a não me apetecer  mais.

MUSA
Paulina Manoela Mellyflora mereceria ter vivido na época de Dante. Pobre Beatriz. Ninguém hoje falaria dela.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…