Aplicativo Meu Ônibus ganha ferramenta para denunciar assédio sexual em Fortaleza

Usuários do transporte público em Fortaleza que forem vítimas ou presenciarem alguma situação de assédio podem denunciar pela ferramenta Nina

Ferramenta Nina está disponível no aplicativo Meu Ônibus. (Foto: Jéssica Welma/Tribuna do Ceará)
O aplicativo Meu Ônibus Fortaleza, que informa sobre horários e pontos de embarque do transporte urbano, recebeu uma nova ferramenta para auxiliar no combate ao assédio. O botão virtual “Nina” será lançado oficialmente nesta quinta-feira (7).
A ferramenta já está disponível para quem tem o aplicativo “Meu Ônibus” atualizado. Nos últimos dias, segundo a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), o Nina estava sendo testado, por isso alguns usuários começaram a ver o botão na tela inicial.
Em novembro do ano passado, a Prefeitura de Fortaleza anunciou o projeto. O objetivo é incentivar a denúncia, coibir o assédio, gerar informação e conscientizar a população.
O botão aparece na capa principal do “Meu ônibus”. Ao clicar no botão “denunciar assédio“, o usuário é direcionado ao Nina. O denunciante pode tanto ser a vítima como alguém que presenciou o assédio.
Os usuários podem relatar se há uma pessoa se tocando ou se exibindo, se encostou de maneira inapropriada na vítima ou em outra pessoa, se foi intimidada a fazer algo que não queria, dentre outras situações de assédio.
Segundo a Prefeitura, o Nina auxilia a denúncia de casos de assédios no transporte público, ajudando a identificar as linhas e os pontos onde ocorreram situações de assédio. “Quando acionado, o botão automaticamente ativará a gravação dos vídeos por meio de câmeras dentro dos ônibus, que serão encaminhados à Polícia Civil. Assim, quando a vítima ou testemunha for denunciar o caso à Delegacia da Mulher ou à Delegacia da Criança e do Adolescente, poderá contar com a prova do ocorrido”, disse a Prefeitura em novembro.
Segundo o Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), 5,2 milhões de mulheres foram assediadas em transportes públicos em 2016 no Brasil. De acordo a organização não governamental internacional ActionAid, 86% das mulheres sofrem assédio nos espaços públicos.
O projeto do Nina envolve a articulação da Secretaria Municipal de Conservação e Serviços Públicos (SCSP) com a Empresa de Transporte Urbano de Fortaleza (Etufor), o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus), a Coordenadoria de Participação Social, a Coordenadoria de Políticas Públicas para Mulheres de Fortaleza e a Delegacia da Mulher.
Prevê também o envolvimento da Casa da Mulher Brasileira, Coordenadoria Especial de Políticas Públicas para as Mulheres do Governo do Estado do Ceará, Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social do Estado do Ceará e da Secretaria Municipal de Segurança Cidadã.
Tribuna do Ceará

Comentários

Mais Visitadas

Cyberbullying: sofrimento causado através da tela

José, servo bom e fiel

STJ proíbe cobrança de taxa de conveniência na venda de ingressos pela internet

Campus Party 2018 vendeu 30% a mais de ingressos que edição anterior

Bullycídio e as previsões no ordenamento jurídico