Pular para o conteúdo principal

Com venda e troca de HQs, XX Feira de Quadrinhos ocorre neste domingo

Paulo Moreira
Paulo Moreira
Uma tarde em meio a revistas em quadrinhos, mangás, graphic novels e ótimas conversas sobre super-heróis. Na vigésima edição da Feira Livre de Quadrinhos, que acontece no próximo domingo, 10, os fãs da nona arte têm um encontro marcado no Espaço O POVO de Cultura & Arte. Na feira, haverá espaços para troca e venda de HQs, além da exposição de trabalhos de artistas, ilustradores e quadrinistas locais. O evento trimestral é gratuito e organizado pela Feira Livre de Quadrinhos (FLQ), com apoio do O POVO e do Vida&Arte.
O projeto foi criada em 2015 e, aos poucos, foi ganhando espaço dentro do cenário nerd de Fortaleza. "A primeira edição aconteceu quando uma moça que iria viajar organizou uma feira na praça da Gentilândia para vender seus HQs. Juntamente com um grupo de amigos, eu criei um elo bem legal na feira, e, então, levamos pra frente outras edições", lembra Rildon Oliver.
Nascido com caráter independente, o evento, aos poucos, se consolidou entre colecionadores e entusiastas. A Feira Livre de Quadrinhos, como explica Rildon, apresenta a proposta de ser um espaço de interação entre pessoas que querem vender, comprar, trocar ou mesmo conhecer mais sobre a variedade das HQs.
Nesta edição, os artistas irão produzir obras exclusivas de personalidades do Estado trajados de personagens de quadrinhos e cultura pop. Na programação do evento, alguns ilustradores cearenses já estão confirmados. Entre eles, Everton Veras, Nathalia Garcia, Alexandre Nascimento, J.J. Marreiro, Fernando Lima, Carlos Henrique Guabiras (do O POVO), Nycolas Di, Erika Sampaio, Rafael Dantas, Brendda Lima, Dharilya Sales, Walber Feijó, Heron Vitor Sales, Nádia Lopes, Adriano Sapão e Pow Rodrix.
Um dos destaques será a presença do quadrinista Paulo Moreira, de João Pessoa (PB). Em 2016, ele criou uma página de humor em quadrinhos e, desde então, reuniu mais de 110 mil seguidores com histórias originais e cheias de referências a super-heróis, situações cotidianas, baratas voadoras e "outras mizeras", aproximando a cultura pop da regionalidade tão característica.
Para Ronier, o evento é importante para atrair novos públicos e leitores."Tem gente que lê quadrinhos há muitos anos e não sabe que temos tantos ilustradores bacanas aqui no Ceará. Nosso papel é também apresentar esses talentos para o público cearense que consome quadrinhos", conta.
O projeto trimestral é gratuito e tem apoio do O POVO e do Vida&Arte. Para Alice Falcão, produtora do evento, a parceria surgiu a partir da proposta de criar uma ponte de relacionamento entre o Grupo de Comunicação O POVO e o público nerd. "Buscamos tornar a estrutura desse espaço o mais confortável possível pra quem vender, expor, ou mesmo pra quem quer curtir o evento", conta. Ela também destaca a criação do projeto Fortaleza Nerd, iniciativa do O POVO, que busca firmar parcerias locais com produtores culturais.
Uma das atrações da feira é o Beco dos Artistas - Espaço Al Rio, reservado para mostrar nossos talentos e celebrar o trabalho dos artistas locais. O espaço homenageia Álvaro Rio, um dos grandes desbravadores cearenses do mercado de quadrinhos mundiais. "Fortaleza tem uma cultura de consumo e produção de quadrinhos muito ativa, mas percebo que ainda é meio fechada, então acho muito válido ter a oportunidade de conhecer o que se tem feito de quadrinhos na cidade em espaços assim, é algo que tem crescido bastante", complementa Rildon.
Em 2018, aconteceram cinco edições da feira, sendo uma especial de Natal. Este ano, estão previstas mais ações interativas, sorteios e desafios de perguntas e respostas, além de diversas premiações. O espaço de troca e vendas de quadrinhos e artigos de decoração acontecerá no no jardim e as demais atividades no espaço interior. Além disso, os participantes poderão contar com o serviço de café no espaço da livraria.

XX Feira Livre de Quadrinhos

Quando: 10 de março, às 13h
Onde: Espaço O POVO de Cultura & Arte. Avenida Aguanambi, 282, José Bonifácio
Quanto: gratuito
IVIG FREITAS

O Povo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…