Pular para o conteúdo principal

Economia: observações básicas

Por 
Os princípios da Ciência Econômica giram em torno de duas vertentes: a lei da procura e a lei da oferta. Dentro do sistema cartesiano, há o eixo horizontal (abscissas) cruzando o eixo vertical (ordenadas), em 90 graus, formando as conhecidas coordenadas. Assim, obtém-se quatro partes ou quadrantes. No caso de uma análise (preço de mercado x quantidade procurada ou ofertada de um bem), considerando-se o 1º quadrante e ainda no eixo horizontal a quantidade do bem e no vertical o preço, a curva de demanda é descensional da esquerda para a direita e a de oferta é ascensional também da esquerda para a direita. A interseção das curvas é o ponto de equilíbrio. 
Existem alguns aspectos que precisam ser observados como é o caso dos bens de Giffen, a elasticidade- preço, a elasticidade-renda, a tese de Laiffer, etc. No entanto, a base de uma análise econômica e financeira, tanto micro quanto macroeconômica, envolvendo qualquer bem ou serviço, é a lei da oferta e da procura. Quando se examinam objetivos e metas; escassez; incerteza e risco; custos e benefícios; distribuição de resultados; emprego; desigualdades; relações internacionais e câmbio; sistema fiscal; dentre outras áreas, a mencionada lei deve ser focada com muita atenção. 
Alguns economistas utilizam, sistematicamente, a matemática para explicar os fenômenos econômicos e financeiros. Derivadas, integrais, equações em diferenças finitas podem ou não colaborar. O importante é ter o bom senso para não exagerar e avaliar com critério, pois a Economia é uma Ciência Social, portanto não exata. 

Vale lembrar, para reflexão, frases de Ludwig von Mises: “A Economia não trata de coisas ou de objetos materiais tangíveis; trata de homens, de suas apreciações e das ações que daí derivam”; e também de Keynes: “A verdadeira dificuldade não está em aceitar ideias novas, mas escapar das antigas”.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08