Pular para o conteúdo principal

Exposição do modernista Ismael Nery chega a Fortaleza

Exposição de panorama da obra do artista, falecido em 1930 e redescoberto décadas após a morte, entra em cartaz na Casa d'Alva

30 obras do paraense ignorado por público e crítica após a morte compõem a exposição da Casa d'Alva
30 obras do paraense ignorado por público e crítica após a morte compõem a exposição da Casa d'Alva (Foto: Ismael Nery / divulgação)
Reunindo 30 obras entre desenhos, aquarelas e pinturas a óleo feitas entre as décadas de 1920 e 1930, a Casa d'Alva abriu mostra individual do artista paraense Ismael Nery (1900-1934). Com a vivência europeia que teve nos primeiros anos de vida adulta, foi influenciado na arte pelo modernismo e vanguardas europeias numa obra que José Guedes, artista e curador da exposição em parceria com Roberto Galvão, classifica como "universal". Morto aos 34 anos em decorrência de uma tuberculose, Nery passou anos numa espécie de esquecimento, até ter a obra redescoberta na década de 1960.
"Apesar de ter feito algumas exposições, entre individuais e coletivas, ele, em vida, sempre foi um pouco deixado de banda em relação aos modernistas da época. Não teve a mesma aceitação", contextualiza Guedes. Um dos motivos que pode ter levado a isso, afirma, foi a religiosidade católica de Nery. "Na época, isso era um estigma para a intelectualidade".
A obra do artista deixou de ser ignorada a partir da seleção de obras dele para a 8ª Bienal de Arte de São Paulo, onde teve uma sala especial. A partir daí, passou a ganhar relevância pela crítica e curadores, ganhando exposições retrospectivas em diferentes museus e destaque no mercado de arte. Como explica o curador: das 30 obras em exposição na Casa d'Alva, 23 estiveram presentes na mostra retrospectiva de Nery que ocupou o Museu de Arte Moderna de São Paulo em 2018. "Ele teve cerca de 100 trabalhos em pintura e, na exposição, quatro são pinturas. Obras emblemáticas", ressalta.
O paraense já teve obras expostas em Fortaleza em exposições coletivas na década de 1980, mas é a primeira vez em que uma solo chega à Capital. "Há obras dele na coleção da Unifor, mas é a primeira vez (como mostra). Conseguimos as 30 obras que compõem a exposição de coleções particulares, a maioria de São Paulo", afirma. Para Guedes, a importância de expor o artista na Casa d'Alva é significativa para a Cidade, destacando o caráter "sensível e autorreferente" das obras de Nery. "Enquanto ele ia definhando (pela tuberculose), ia refletindo isso na arte", ilustra.

Exposição Ismael Nery

Quando:em cartaz até 
6 de abril

Visitação: segunda a sexta, de 10 às 19 horas; sábado, de 10 às 14 horas
Onde: Casa d'Alva (rua João Brígido, 934, Aldeota)
Entrada gratuita.
Mais infos: (85) 3252 6948
JOÃO GABRIEL TRÉ
O povo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…