Pular para o conteúdo principal

FAZENDO JUSTIÇA NO BRASIL

Carlos Delano Rebouças*
Conversando com amigos e minha esposa, sobre os rumos da segurança pública em nosso país, em especial, em Fortaleza, capital do Ceará, quantas opiniões conflitadas, porém, que fazem entender que se trata de um tema preocupante para toda a sociedade.

Em meio à conversa, uma polêmica: É ou não viável reduzir a maioridade penal no Brasil para 16 anos, diante de tantos argumentos?
Ah! muitos jovens de 16 anos já sabem o que fazem; já têm poder de voto; praticam muitos crimes; etc. Tudo isso já sabemos, mas será que não se trata de um erro dar tanto poder ao jovem menor de 18 anos e maior de 16 anos? Será que este jovem não está sendo orientado da forma correta, sem os devidos investimentos na educação?

Educação. Essa para muitos, como eu, humilde educador, é a chave do sucesso para um país melhor. Que seja utópico, até pode ser, mas não abandono a defesa da tese, que um país educado é um país distante de tantas mazelas, como a insegurança pública.

A Noruega, país do leste europeu, frio, de povo educado, uma das três mais evoluídas culturas do planeta, tem um sistema penitenciário que oferece ao preso, acomodações como as de hotéis luxuosos. Parece controverso, não é, hospedar presos criminosos em meio a tanto luxo? Mas as controvérsias são esclarecidas, quando se trata de um país onde a qualidade de vida é extremamente elevada; onde a educação de seu povo prevalece e leva ao entendimento que ali não é o seu lugar; que a liberdade é tudo na vida de qualquer ser; além de significar custos para o estado, e ninguém quer ser peça desse sistema.

Ainda falando do sistema prisional norueguês, a reincidência representa em níveis percentuais somente 20%. Quer dizer, um percentual baixíssimo, mas que muito incomoda as autoridades de um país, o qual não mede esforços e investimentos para zerar essa reincidência.

No Brasil é muito diferente. Somos, hoje, a terceira maior comunidade presidiária do mundo. Investimentos são pouquíssimos, e nada de concreto é observado na ressocialização daqueles que ganham ou estão prestes a ganhar a liberdade. Prato cheio para a criminalidade, que ganha reforços a cada instante.

Sem querer ser mais prolixo nessa questão, até mesmo por enxergar ser utópica a concretização de tantos sonhos e desejos, prefiro manter-me com minhas convicções, de vez em quando, externando-as, discutindo-as em grupo, e quem sabe, contribuindo para uma melhor compreensão de um todo que incomoda muito a sociedade brasileira.

*Professor de Língua Portuguesa e redação, conteudista, palestrante e facilitador de cursos e treinamentos, especialista em educação inclusiva e revisor de textos.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…