Pular para o conteúdo principal

Francisco, o novo Papa

Artigo por nós publicado no dia de sua eleição (13/03/2013)
"A ti corremos, Angélico Pastor, Em ti nós vemos o doce Redentor. A voz de Pedro na tua o mundo escuta, não vencerão as forças do inferno, mas a verdade, o doce amor fraterno!" (Hino do Vaticano).

Por Padre Geovane Saraiva*
Jorge Mario Bergolio, a partir deste dia 13 de março de 2013 é para o mundo católico o novo Papa, o novo Sumo Pontífice, com o nome Papa Francisco. O quer dizer Pontífice? Pontífice quer dizer ponte e tem a função de ligar uma margem à outra de um rio. No caso do Sucessor de Pedro, o múnus que lhe foi atribuído é o de fazer a ligação da terra ao céu, numa misteriosa troca de dons. A ocasião é por demais feliz, no sentido de rendermos graças ao bom Deus, na mais absoluta convicção, de que o povo de Deus, com o novo Vigário de Cristo na terra, reavirá a sua fé, através do representante legítimo e visível de Cristo aqui na terra, avançando às águas mais profundas, orientados por sua palavra segura, fecunda e esperançosa (cf. Lc 5, 4-7; Mt 16, 18 ).

Que ele seja um autêntico pai na caridade, num grande esforço de sempre mais proporcionar um estreito relacionamento da Igreja com o mundo contemporâneo, no meu modo de perceber as coisas, igualmente gritante, quando da ocasião Concílio Vaticano II, tendo por base os princípios doutrinários da Mãe Igreja, nestas palavras: “As alegrias e as esperanças, as tristezas e as angústias dos homens de hoje, sobretudo dos pobres e de todos aqueles que sofrem, são também as alegrias e as esperanças, as tristezas e as angústias dos discípulos de Cristo; e não há realidade alguma verdadeiramente humana que não encontre eco no seu coração” (GS, 200).

Visto pelos olhos da fé, o gesto de Bento XVI, que surpreendeu o mundo, revela-nos o sopro do Espírito Santo e que foi humildemente acolhido por todos. Renúncia durante seis séculos era tida como um sinal de fraqueza, mas que agora foi transformado e visto como uma atitude de extraordinária grandeza, na eleição do novo representante de Cristo da terra, o Papa Francisco.

Nossa confiança é enorme, sobretudo, ao refletirmos sobre a parábola do pai misericordioso (Lc 15, 11-32), porque somos chamados a sonhar com um papa totalmente identificado com o pai da passagem deste Evangelho, no seu amor infinito e acolhedor, que soube no momento exato compreender e compadecer-se da miséria do filho mais novo, num gesto extraordinário de generosidade, ao mesmo tempo em que experimentou a alegria e a felicidade de seu retorno a casa.

Vamos esperançosos, contar com um papa que saiba compreender a humanidade, representada pelo filho mais novo, que deixou seu pai querido, numa aventura de assumir e administrar sua própria vida e seus bens, na irresponsabilidade e inconsequência. Igualmente, numa pedagogia marcada pela misericórdia, que saiba ir ao encontro do filho mais velho, que também representa a mesma humanidade, para falar-lhe da necessidade de misericórdia e conversão do coração, diante da dor, da miséria e do sofrimento humano, exigindo-lhe amor, compaixão, solidariedade e ternura.

Num mundo marcado pelo pluralismo, na diversidade de pensamentos e opções de vida, alimenta-se sempre mais o sonho de um mundo fraterno e solidário, onde o Espírito Santo aja em toda sua plenitude, através do novo Papa Francisco, eleito neste dia 13 março, para a função maior de animar e confirmar os irmãos na fé, na Igreja Católica. A nossa ardorosa súplica ao bom Deus, diante da missão incomensurável, que ele seja causa de grande alegria, além de ser fermento, sal e luz para toda a humanidade, ávida dos seus ensinamentos.

Jesus Cristo continua a afirmar: “O que vos peço é que não os tireis do mundo, mas os livreis do mal” (Jo 17, 15). A Igreja vive inserida num mundo onde há pedofilia, homossexualidade e segunda união. Mesmo sendo uma organização de voluntários, espera-se de seus membros obrigações e vínculos, onde não se prescindem clareza e convicção. Na alegria da sua eleição, jamais podemos esquecer que o novo Pastor Universal tem, através do anúncio do Evangelho e do diálogo, a tarefa de fermentar o mundo e a própria criação, na edificação do Reino de Deus e sua justiça.

Com a chegada do novo Vigário de Cristo na terra, que o planeta possa ser alegremente contemplado, no sentido de que os cristãos sejam estimulados e fomentados a um grande compromisso de dialogar e cuidar da criação, nas suas mais diversas realidades. O mundo precisa carinhosamente de práticas ecológicas e ambientais, para que a fé da humanidade possa se tornar cada vez mais viva e coerente com aquilo que se acredita.

*Pároco de Santo Afonso, Jornalista, Blogueiro, Escritor e Colunista, integra a Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza - geovanesaraiva@gmail.com

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…