Pular para o conteúdo principal

Mostra do Filme Livre traz 155 produções independentes

Começa hoje (27), na capital paulista, a 18ª edição da Mostra do Filme Livre (MFL), com a exibição de 155 filmes da produção audiovisual independente do país. A edição deste ano homenageia o cineasta mineiro Sylvio Lanna e o jornalista e cineasta pernambucano Geneton Moraes Neto (1956 - 2016). A mostra, com entrada gratuita, fica em cartaz no Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB) de São Paulo até o dia 22 de abril. No dia 16 de abril, estreia em Brasília, onde permanece até o dia 12 de maio, também no CCBB. No Rio de Janeiro, as exibições terão início em 8 de maio.
 18 Mostra do Filme Livre
Objetivo da mostra é divulgar produções independentes Divulgação CCBB-SP
A curadoria do evento é formada por Gabriel Sanna, Diego Franco, Scheilla Franca e Guilherme Whitaker (GuiWhi), que é também criador da mostra. Foram três meses para selecionar os filmes da programação. GuiWhi destaca as características da mostra com obras feitas “para inquietar”.
“[Esses 18 anos de história] comprovam a força deste cinema urgente e possível de ser feito sem grandes recursos/patrocínios, a maioria dos filmes feita entre amigos, via coletivos e/ou sozinhos, e o fato de sermos hoje a principal e maior vitrine brasileira para essas produções é uma conquista que dividimos com todos que, desde 2002, tem apostado que vale a pena reverberar tais conteúdos”, destacou o idealizador do evento.
A programação também traz o Especial Júlio Bressane, exibindo dois trabalhos mais recentes do cineasta: Sedução da Carne e Nietzsche Sils Maria.

Homenageados

A abertura em São Paulo terá uma sessão especial, às 19h30, com apresentação de curtas sobre Sylvio Lanna e um curta de Geneton Moraes Neto, além da estreia internacional de dois curtas.
Lanna é mineiro de Ponte Nova e entrou pra história da cinematografia brasileira e mundial em 1970, quando finalizou seu primeiro e único longa: Sagrada Família, o qual, segundo a curadoria, é considerado um marco do “cinema marginal”. O cineasta estreará na Mostra de Filmes Livres duas produções: o média-metragem In Memoriam – O Roteiro do Gravador e o curta Um Cinema Caligráfico. Também será exibidoMalandro, Termo Civilizado (ou Malandrando), média-metragem de 1986, com participações de Moreira da Silva, Wilson Grey e Luís Melodia.
Geneton Moraes Neto começa a trajetória como cineasta na década de 1970 por incentivo e influência do crítico Fernando Spencer. Os curadores destacam que o período coincide com a popularização da câmera Super-8 sonoro, permitindo um “cinema com total liberdade e pouquíssimos recursos”. Serão exibidos nove filmes restaurados pela Cinemateca Pernambucana, produzidos entre os anos de 1973 e 1983.
A curadoria da programação em homenagem a Geneton foi feita pela coordenadora de Cinema da Fundação Joaquim Nabuco e da Cinemateca Pernambucana, Ana Farache, e do cineasta e professor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Paulo Cunha.
Agência Brasil

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…