Pular para o conteúdo principal

Aprenda a ser seu próprio coach

Você é responsável por si mesmo e pode melhorar sua autoestima

Homens e mulheres enfrentam situações que os fazem sentir inseguros, que atacam a autoestima. Na vida de cada pessoa intervêm fatores sociológicos, psicológicos e emocionais, o que cria um sistema de crenças que se transformam em comportamentos. 
Se, desde o começo da vida, alguém plantou a insegurança pessoal, a desconfiança de si mesmo e a baixa autoestima, esta perspectiva tenderá a aparecer ao longo da vida da pessoa. 
Porém, a boa notícia é que não importa quanto tempo a pessoa tenha vivido com essa insegurança, pois isso, felizmente, tem solução. 
Baixa autoestima: como isso te afeta?
A baixa autoestima pode mudar a conduta das pessoas, pois, ao duvidar de seu próprio valor, cria-se um círculo vicioso, do qual é difícil sair. Você saberá se tem a autoestima baixa se: 
  • você se sentir inferior aos outros;
  • nunca termina o que começa e se desmotiva com facilidade;
  • evita qualquer situação na qual pode fracassar;
  • coloca a culpa nos erros do passado;
  • não acredita que haja algo especial em você;
  • não se sente atrativo (a);
  • evita se relacionar com os outros;
  • não expressa suas ideias e opiniões;
  • sente ansiedade e tristeza profunda;
  • é perfeccionista não valoriza o que você faz;
  • é difícil para você tomar decisões.  
Alguns conselhos para elevar a autoestima 
Você é responsável por si mesmo e pode melhorar a sua autoestima, colocando em prática uma série de estratégias: 
1. Encontre a origem de sua baixa autoestima. 
Os problemas de autoestima costumam se desenvolver durante a infância e suas causas podem ser as mais variadas. O principal inimigo de nossa autoestima é, simplesmente, não fazermos nada para melhorá-la. A autoestima não depende do que você consegue, mas das tentativas. Somente enfrentando os medos é que você poderá romper este círculo vicioso. 
2. Substitua seus objetivos por valores.
Os valores são nossa definição mais fundamental. Eles apontam a direção quando acreditamos que estamos perdidos, e nos dão energia para continuar lutando. Toda vez que você tiver que enfrentar um desafio, pegue sua lista de valores, escolha um e, durante alguns minutos, lembre por que ele é importante para você. Isso aumentará a sua autoestima e vai te proteger da ansiedade.  
 3. Identifique suas verdadeiras forças.
Além de seus valores, para construir sua autoestima, você precisa se convencer de que há algo bom em você. Para encontrar suas forças, pense em cinco coisas boas que você conseguiu na sua vida. Depois, lembre-se de quais características pessoais positivas foram necessárias para atingir cada uma delas. Essas são as suas forças. 
4. Transforme seus pensamentos negativos em respostas racionais. 
Agora, você já tem um conjunto de valores e fortalezas para começar a acreditar mais em você. Mas nossas experiências do passado continuam impactando nossas vidas. Em pessoas com autoestima elevada, esta voz interior costuma ser amável e reconfortante. 
O problema é que essa voz interior, muitas vezes, é irracional. Tratar isso é um bom meio para administrar a ansiedade e a insegurança. Crie o hábito de identificar e questionar seus pensamentos negativos e, assim, você começará a amenizar os efeitos deles sobre você. 
5. Perdoe-se 
A autocompaixão consiste em se tratar com a mesma empatia com que você trataria um amigo querido. Significa ser compreensivo com você mesmo, em vez de fazer autocríticas e julgamentos. Aprenda a se acalmar e tentar de novo, em vez de se castigar toda vez que você comete um erro. 
Enfim, para reprogramar a sua mente e criar essa personalidade que você deseja, é preciso vencer etapas, o que vai te ajudar a construir padrões de pensamento típicos de uma personalidade forte e de sucesso. 

Aleteia

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…