Pular para o conteúdo principal

Debates, cursos e flash mob vão marcar a Semana Curitiba Lê

(Foto: Divulgação)
Grandes nomes da literatura brasileira vão se encontrar para discussões sobre incentivo à leitura, na Semana Curitiba Lê que comemora os 9 anos do programa da Fundação Cultural de Curitiba. O evento gratuito será feito de segunda-feira (8) a quinta-feira (11) de abril, com destaques na programação sempre às 19h, na Capela Santa Maria.
Entre eles está a presença de Maria Valéria Rezende com seu novo romance ‘Carta à Rainha Louca’. Já Rosana de Mont’Alverne Neto discute a censura no livro infantil e José Castello e vai promover uma grande roda de leitura.
Estão previstos ainda outros eventos, como cursos gratuitos sobre temas diversos e ações de roda de leitura, contação de histórias e varal literário nas Casas da Leitura das dez Regionais Administrativas da cidade.
Abre a programação, nesta segunda-feira, o debate ‘O direito à literatura: a censura do livro infantil na contemporaneidade’. A censura à literatura infantil é um velho fantasma que volta à cena contemporânea e a palestrante Rosana de Mont’Alverne Neto vai discutir casos específicos, mostrar como se manifestou a censura a livros na história e apresentar pontos para reflexão e debate.
Em parceria com o Litercultura, a Semana promove amanhã uma grande Roda de Leitura com José Castello e leitores inscritos no momento, a partir de textos do próximo Litercultura.
Outra ação literária está prevista para ocorrer na quinta-feira (11/4), com a mesa-redonda sobre ‘Ações de leitura e formação para o sensível’, com a presença de Bel Santos Mayer, Pierre André Ruprecht e Flávio Stein.
Ponto alto da programação é o pré-lançamento do romance ‘Carta à Rainha Louca’ da escritora Maria Valéria Rezende. A autora pernambucana ministra a palestra ‘Leitura: caminho aberto para vários mundos’, nela fala de sua vivência que a leva a percorrer quatro continentes formando novos leitores, as várias experiências e modos de fazer brotar leitores e livros, de sua própria autoria e de muita gente.
Flash Mob
Encerra a Semana um encontro com o objetivo de incentivar à leitura, o “Flash Mob, o Leitor” na sexta-feira (12/4), das 16h às 17h, na Praça Rui Barbosa. Uma intervenção urbana do Programa Curitiba Lê, com o intuito de ocupar parte da rua com um grande número de leitores.

Todos os interessados devem se dirigir ao local indicado e ler, durante uma hora, um livro de sua preferência.
Uma das recomendações é que em momento algum, os participantes assumam que o evento foi previamente programado e que se chama Flash Mob para não comprometer o efeito da ação.
Programa
Criado em 2010 pela Fundação Cultural de Curitiba (FCC), o programa Curitiba Lê é composto por um conjunto de ações de fomento, difusão e formação que visam aumentar quantitativa e qualitativamente os índices de leitura entre crianças, jovens e adultos.
Atualmente o Curitiba Lê conta com 16 Casas da Leitura e o Bondinho da Leitura no Calçadão da Rua XV de Novembro, no Centro. Além dos espaços físicos, o programa o também promove ações diretas junto à comunidade oferecendo atividades de rodas de leitura e contações de histórias, laboratórios de leitura, palestras, seminários e oficinas de análise e criação literária.

Serviço
Flash Mob ‘O Leitor’
Data: 12 DE ABRIL (SEX)
Horário: 16h às 17h
Local: Praça Rui Barbosa
Confira a programação completa: http://www.fundacaoculturaldecuritiba.com.br

Fonte: Bem Paraná

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…