Escritor Mia Couto vem ao Brasil em abril

Escritor vai participar de lançamento do livro Grande Sertão Veredas
Escritor vai participar de lançamento do livro Grande Sertão Veredas
Grande leitor e fã do escritor João Guimarães Rosa ( 1908-1967), o escritor moçambicano Mia Couto vem ao Brasil para o lançamento de Grande Sertão: Veredas, que acaba de sair pela Companhia das Letras, depois de anos no catálogo da Nova Fronteira. O lançamento de Grande Sertão: Veredas será no dia 9 de abril, às 20 horas, no Sesc Pinheiros.
Além de Mia Couto, participam do lançamento, com leitura, integrantes do Grupo Miguilim. A direção é de Bia Lessa. De 1956, Grande Sertão: Veredas é uma das maiores obras da literatura brasileira, e a obra-prima de Guimarães Rosa - um mergulho no sertão mineiro e, sobretudo, na alma humana. O livro que chega agora às livrarias conta com novo estabelecimento de texto, cronologia ilustrada, indicações de leituras e textos publicados sobre o romance, incluindo um breve recorte da correspondência entre Clarice Lispector e Fernando Sabino e escritos de Roberto Schwarz, Walnice Nogueira Galvão, Benedito Nunes, Davi Arrigucci Jr. e Silviano Santiago.

O livro

A obra Grande Sertão: Veredas é considerada uma das mais importantes da literatura brasileira e é elogiada pela linguagem e pela originalidade de estilo presentes no relato de Riobaldo, ex-jagunço que relembra suas lutas, seus medos e o amor reprimido por Diadorim.
O romance de Guimarães Rosa é considerado uma das obras mais significativas da literatura brasileira. Ele foi publicado pela primeira vez em 1956, e chama atenção devido ao tamanho: 600 páginas.
Fonte: Diário da Região

Comentários

Mais Visitadas

Principal nome da literatura feita para crianças no Ceará, Horácio Dídimo, morto em 2018, pode ser homenageado em Dia Estadual da Literatura Infantil

VIVER A SEMANA SANTA

Praça Luiza Távora, em Fortaleza, abrigou castelo

Festival de literatura promove ‘maratona’ com 40 atividades em Bauru

Cientista político lança livro sobre a influência da Lava Jato no eleitor