Festival RioMar de Literatura realiza a sua sétima edição homenageando dois integrantes da Academia Pernambucana de Letras (APL)

A programação conta com homenagens aos escritores Margarida Cantarelli e José Paulo Cavalcanti Filho

JC Online

A escritora e jurista Margarida Cantarelli / Divulgação
A escritora e jurista Margarida Cantarelli
Divulgação
O Festival RioMar de Literatura está com tudo pronto para realizar a sua sétima edição na próxima sexta-feira (26/4). O evento, que tem entrada gratuita e acontece no Teatro RioMar, vai homenagear neste ano dois integrantes da Academia Pernambucana de Letras (APL): a presidente da instituição, Margarida Cantarelli, e o escritor José Paulo Cavalcanti Filho. A programação começa a partir das 14h30.
A programação começa com um pronunciamento de Luzilá Gonçalves e Carmen Peixoto. Logo depois, às 15h, o primeiro painel homenageia Margarida Cantarelli, com a presença do ministro do STJ Luis Alberto Gurgel e da ex-secretária de Educação Creuza Aragão. Às 16h30, o grupo Dispersos Cia de Teatro encena um texto de Margarida. Logo depois, às 16h45, tem início uma conversa sobre José Paulo, com participação do pesquisador Sílvio Meira e do cardiologista Carlos Roberto Ribeiro de Moraes. A Dispersos também vai encenar um texto do autor.
Após as mesas, o festival recebe uma apresentação da atriz Fabiana Karla às 18h30. O encerramento acontece às 19h, com show de Petrúcio Amorim.


OS HOMENAGEADOS

Homenageada dessa edição, a jurista Margarida tem uma trajetória ligada ao direito, tendo ocupado o posto de desembargadora do Tribunal Regional Federal da 5º Região, além de acumular um doutorado na área, com o título Da Territorialidade à Transnacionalidade – A Desterritorialização da Jurisdição Penal, defendido em 2001 na UFPE. Ela ainda publicou dois livros, Momentos na Justiça e Rota Inversa: Descobrindo Portugal. Atualmente, ocupa o segundo mandato como presidente da APL.
O outro homenageado, José Paulo Cavalcanti Filho, também é ligado ao direito. Além de advogar, ele foi secretário-geral do Ministério da Justiça e ministro interino da pasta durante o governo de José Sarney. Na literatura, publicou o premiado livro Fernando Pessoa: Uma Quase Autobiografia, já editado também em outros dez países. Também utilizou seus estudos do poeta português para compor o volume Fernando Pessoa: O Livro das Citações e publicou contos com histórias que vivenciou na advocacia na obra Somente a Verdade.

Comentários

Mais Visitadas

Deus eleva os humildes

Reitoria da UECE apoia manifestações em defesa da educação brasileira e das universidades públicas

VIVENDO E APRENDENDO

Campus Party 2018 vendeu 30% a mais de ingressos que edição anterior

Maureen Bisilliat se reencontra com o seu sertão e o de Euclides da Cunha na Flip