Pular para o conteúdo principal

Montevidéu recebe exposição de Picasso pela primeira vez

A capital uruguaia recebe, pela primeira vez, 42 obras do gênio da arte moderna, o espanhol Pablo Picasso. A exposição Picasso en Uruguay permanece em Montevidéu até 30 de junho, no Museu Nacional de Artes Visuais (MNAV), situado no Parque Rodó.
A mostra foi organizada em seis seções, expondo diferentes etapas da vida criativa do artista. Além das pinturas, há também gravuras, esculturas e cerâmicas.
Exposição de Pablo Picasso em Montevidéu, no Uruguai. Músico
O  Músico foi pintado em 1972, um ano antes da  morte de Picasso     (Marieta Cazarré/Agência Brasil)
Destaca-se, no início da carreira, a pintura em óleo sobre tela Busto, realizada na primavera de 1907, em Paris. Trinta anos depois, Picasso pintou Mulher sentada com os braços cruzados e a impactante e sombria Adormecida perto das persianas.
A exposição traz também uma pintura que ele fez de sua filha Maya, fruto de sua relação com Marie Thérèse Walter. O quadro Maya com a boneca é de 1938. A última obra da exposição é Músico, uma enorme tela de em 1972, pintada um ano antes de sua morte.
As obras exibidas em Montevidéu pertencem às coleções dos Museus Picasso, de Paris e Barcelona. A curadoria é de Emmanuel Guigon, diretor do museu em Barcelona.
“Uruguai ressoa na obra de Pablo Picasso através da figura de Joaquín Torres García, pintor uruguaio radicado em Barcelona a partir de 1882 e que frequentou os mesmos lugares e os mesmos círculos artísticos que Picasso”, afirma Laurent Le Bon, presidente do Museu Picasso, em Paris.

Amizade com Torres-Garcia

Joaquin Torres-Garcia foi o pintor uruguaio mais importante do século XX. Nasceu e morreu em Montevidéu (1874-1949), tendo vivido na Europa e nos Estados Unidos. Conheceu artistas como Picasso, Mondrian, Miró, Kandinsky e Gaudí.
Logo no início da exposição de Picasso, há cartas e documentos que mostram a relação entre os dois artistas.
Exposição de Pablo Picasso em Montevidéu, no Uruguai. Maya com a boneca.
Quadro Maya com a boneca, de Picasso    (Marieta Cazarré/Agência Brasil)
Em 1895, quando o espanhol tinha apenas 14 anos, os pintores coincidiram na Escola de Belas Artes de Barcelona. No ano seguinte, em 1896, ambos expuseram trabalhos na Exposição de Belas Artes de Barcelona.
Em 1932, Torres-García planejava publicar um livro sobre Picasso, mas acabou por abandonar a ideia. Em 1934, o pintor uruguaio regressou a Montevidéu, onde viveu até o fim da vida.

Biografia

Picasso nasceu em Málaga, em 1881 e, aos 14 anos, foi viver em Barcelona com a sua família. O pai de Picasso, Don José Ruiz, era professor na escola de artes La Llotja, na capital catalã, onde o pintor começou a sua formação.
O artista começou a desenvolver a sua arte em Barcelona, enquanto frequentava os círculos boêmios da cidade e a taberna Els Quatre Gats (Os Quatro Gatos, em tradução do catalão), aberta no ano de 1897.
Em 1904, Picasso se muda para Paris, e lá, suas obras já ganham contornos picassianos, com os rostos desfigurados e as silhuetas surrealistas e cubistas que são marca do artista.
Picasso viveu grande parte da sua vida na França. Morreu em 1973, com 91 anos.
No 90º aniversário de Picasso foi organizada uma exposição no Museu do Louvre, em Paris, tornando-o o primeiro artista vivo a expor ali.
Agência Brasil

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…