Pular para o conteúdo principal

De volta aos tempos de ouro com Célio Balona

O compositor, arranjador e instrumentista apresenta o show "Anos Dourados" na série de apresentações "Célio Balona: 80 anos de vida e 65 anos de música"
'Célio Balona: 80 anos de vida e 65 anos de música – Anos Dourados'
'Célio Balona: 80 anos de vida e 65 anos de música – Anos Dourados' (Divulgação)

Chegamos ao final de uma série especial em comemoração aos 80 anos de vida e 65 anos de música de Célio Balona. O público foi presenteado com apresentações de repertórios que marcaram a carreira do instrumentista, arranjador e compositor mineiro, com novas roupagens e convidados. No dia 1º de maio, às 20h, o palco do Centro Cultural Banco do Brasil – CCBB vai receber o show Anos Dourados, com a participação de seu companheiro de longa data, Nivaldo Ornelas (saxofone).
“Anos Dourados” é uma visita saudosa aos “old good times”, como o próprio Célio Balona se refere a apresentação. É uma volta ao romantismo, das músicas que embalavam os casais apaixonados nos grandes salões de festas. E Balona viveu intensamente esses tempos. “As apresentações eram repletas de emoção e sensibilidade através de boleros, músicas de filmes, canções francesas, americanas, italianas e as brasileiras, compostas por grandes compositores, como Ary Barroso, Tom Jobim, Vinícius de Moraes, Noel Rosa, Pixinguinha e tantos outros que deixaram sua marca indelével no cancioneiro popular”, explica o músico.
E um dos maiores orgulhos de Célio é saber que ele fez a trilha sonora de milhares de casais ao longo desse tempo. E para relembrar essa época, ele convidou um grande amigo e artista consagrado, o saxofonista Nivaldo Ornelas, que integrou o conjunto original de Balona na década de 60.
Para acompanhá-los, Christiano Caldas (piano acústico), Milton Ramos (contrabaixo acústico), Ezequiel Lima (contrabaixo elétrico), Pingo Ballona (bateria) e Wagner Souza (trompete e flugelhorn).
Conheça mais sobre Célio Balona
Nascido em Visconde do Rio Branco, Célio Balona é músico, compositor, arranjador, tecladista e acordeonista. Estudou na Escola de Formação Musical da Polícia Militar de Minas Gerais. Aos 15 anos, Célio já atuava como profissional. Na década de 60, ao lado de Nivaldo Ornelas e Wagner Tiso, formou seu primeiro grupo musical. Mais tarde, começou a se dedicar à composição e à música instrumental. Atuou em shows nos Estados Unidos, México, Colômbia, Espanha, Inglaterra, França e Itália.
Balona fez os arranjos e criou a trilha sonora do desfile do estilista Ronaldo Fraga, na São Paulo Fashion Week, em 2013. É também um dos idealizadores e curador do Festival Internacional de Acordeon (FIA).

Serviço
“Célio Balona: 80 anos de vida e 65 anos de música – Anos Dourados”
Dia 1º de maio, às 20h
CCBB-BH – Teatro I – Praça da Liberdade, 450, Funcionários
Mais informações: 31 3431-9400
Venda de ingressos: eventim.com.br ou na bilheteria do CCBB, de quarta a segunda, das 9h às 21h – R$30 (inteira) / R$15 (meia
Clientes Banco do Brasil pagam meia-entrada em todas as apresentações.
Classificação: livre
Duração: 90 minutos

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…