Pular para o conteúdo principal

De volta aos tempos de ouro com Célio Balona

O compositor, arranjador e instrumentista apresenta o show "Anos Dourados" na série de apresentações "Célio Balona: 80 anos de vida e 65 anos de música"
'Célio Balona: 80 anos de vida e 65 anos de música – Anos Dourados'
'Célio Balona: 80 anos de vida e 65 anos de música – Anos Dourados' (Divulgação)

Chegamos ao final de uma série especial em comemoração aos 80 anos de vida e 65 anos de música de Célio Balona. O público foi presenteado com apresentações de repertórios que marcaram a carreira do instrumentista, arranjador e compositor mineiro, com novas roupagens e convidados. No dia 1º de maio, às 20h, o palco do Centro Cultural Banco do Brasil – CCBB vai receber o show Anos Dourados, com a participação de seu companheiro de longa data, Nivaldo Ornelas (saxofone).
“Anos Dourados” é uma visita saudosa aos “old good times”, como o próprio Célio Balona se refere a apresentação. É uma volta ao romantismo, das músicas que embalavam os casais apaixonados nos grandes salões de festas. E Balona viveu intensamente esses tempos. “As apresentações eram repletas de emoção e sensibilidade através de boleros, músicas de filmes, canções francesas, americanas, italianas e as brasileiras, compostas por grandes compositores, como Ary Barroso, Tom Jobim, Vinícius de Moraes, Noel Rosa, Pixinguinha e tantos outros que deixaram sua marca indelével no cancioneiro popular”, explica o músico.
E um dos maiores orgulhos de Célio é saber que ele fez a trilha sonora de milhares de casais ao longo desse tempo. E para relembrar essa época, ele convidou um grande amigo e artista consagrado, o saxofonista Nivaldo Ornelas, que integrou o conjunto original de Balona na década de 60.
Para acompanhá-los, Christiano Caldas (piano acústico), Milton Ramos (contrabaixo acústico), Ezequiel Lima (contrabaixo elétrico), Pingo Ballona (bateria) e Wagner Souza (trompete e flugelhorn).
Conheça mais sobre Célio Balona
Nascido em Visconde do Rio Branco, Célio Balona é músico, compositor, arranjador, tecladista e acordeonista. Estudou na Escola de Formação Musical da Polícia Militar de Minas Gerais. Aos 15 anos, Célio já atuava como profissional. Na década de 60, ao lado de Nivaldo Ornelas e Wagner Tiso, formou seu primeiro grupo musical. Mais tarde, começou a se dedicar à composição e à música instrumental. Atuou em shows nos Estados Unidos, México, Colômbia, Espanha, Inglaterra, França e Itália.
Balona fez os arranjos e criou a trilha sonora do desfile do estilista Ronaldo Fraga, na São Paulo Fashion Week, em 2013. É também um dos idealizadores e curador do Festival Internacional de Acordeon (FIA).

Serviço
“Célio Balona: 80 anos de vida e 65 anos de música – Anos Dourados”
Dia 1º de maio, às 20h
CCBB-BH – Teatro I – Praça da Liberdade, 450, Funcionários
Mais informações: 31 3431-9400
Venda de ingressos: eventim.com.br ou na bilheteria do CCBB, de quarta a segunda, das 9h às 21h – R$30 (inteira) / R$15 (meia
Clientes Banco do Brasil pagam meia-entrada em todas as apresentações.
Classificação: livre
Duração: 90 minutos

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…