Pular para o conteúdo principal

Em livro, escritora reflete, de maneira cômica, sobre infrações enraizadas na política nacional

“Milagre em Passadouro” satiriza o sistema político por meio da escrita afiada de Lúcia Murad Neffa


Primeiro romance escrito por Lúcia Murad Neffa, mais conhecida como Xuxu, “Milagre em Passadouro” é um retrato satírico sobre o Brasil atual. Na obra, o foco recai sobre o sistema político nacional e evoca interessantes personagens na busca pelo retrato cômico (e não menos fiel) dos mandos e desmandos de nossos representantes.
Para isso, a autora narra o projeto multireligioso realizado entre Vitalina, Tereza e José Ribamar, respectivamente uma beata, uma umbandista e um pastor. Os três líderes religiosos, objetivando atrair turismo pela fé à pequena cidade de Passadouro do Norte – e obter lucro – decidiram arquitetar um milagre, cuidando para deixar tudo sem rastros impostor.
Cada um dos personagens, conforme o avançar da história, questionam-se sobre a má conduta em nome de Deus, contudo não deixam de ser atraídos pelos prazeres proporcionados pelo dinheiro. Nada mais atual.
Contexto
Para além do trio principal, uma miríade de figuras coadjuvantes faz correspondência com conhecidos nomes da política nacional, gerandoimediato humor. Em certos momentos, contudo, o que prevalece é a sensação de impotência e desmotivação, face aos absurdos que poderiam se restringir apenas à ficção, mas que observamos diuturnamente na conjuntura real do Brasil.
Exemplos correntes dessa questão são os desvios financeiros e a má administração onipresentes na cidadezinha onde se passa a trama, por exemplo, além do comportamento cínico e corrupto que não afetavam o senso crítico dos moradores. 
Inflação, concentração de renda na mão de poucos e abusos em nome da fé igualmente são temáticas que perpassam o romance, abarcando não apenas um recorte político da nação, mas também considerando o que se passa no seio religioso quando inserido num panorama de representação cidadã. 
Resultado: contradições de todo tipo marcam cada página, tudo retratado com uma linguagem acessível e, ao mesmo tempo, alinhada com a cultura popular, em determinados instantes.
Afiado e inteligente no que se propõe a retratar, “Milagre em Passadouro”, assim, é um bom recorte do cuidadoso e necessário olhar de sua autora sobre um País que, diariamente, golpeia, sem piedade e nenhum humor, conquistas, direitos e a paz de toda uma população. 
img2img2
Milagre em Passadouro - Três religiosos e uma cidade esquecida por Deus
Lúcia (Xuxu) Murad Neffa

Editora Única
2019, 144 páginas
R$ 34,90


Diário do Nordeste

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…