Pular para o conteúdo principal

Morre, aos 91 anos, o mestre da Cultura Antônio Hortênsio

O rabequeiro era mestre da Cultura desde 2005

O mestre era natural da cidade de Reriutaba
O mestre era natural da cidade de Reriutaba(Foto: Arquivo pessoal)
Morreu nesta terça-feira, 28, aos 91 anos, Antônio Rodrigues Trajano, o mestre da Cultura Antônio Hortênsio. Rabequeiro da Região da Ibiapaba, o mestre estava internado com pneumonia no Hospital Regional Norte em Sobral e morreu por insuficiência respiratória. A informação foi confirmada por Hugo Leonardo Lopes, um dos netos do mestre, e lamentada pela Secretaria da Cultura do Ceará (Secult).
Conforme a pasta, mestre Hortênsio nasceu no dia 4 de julho de 1928 no município de Reriutaba. Ele herdou do pai o gosto pelo ofício do manuseio da madeira. Aos 15 anos construiu sua primeira rabeca. Além da rabeca, o mestre tocava outros instrumentos, como violão e cavaquinho. Ele também consertava e afinava harmônicas e sanfonas. O rabequeiro era mestre da Cultura desde 2005.
Ao O POVO Online, Hugo contou sobre o orgulho e o legado do avô, que tinha “um ouvido apurado e bastante engenhoso". "Trabalhou na construção do açude Araras, na estrada que liga Sobral a Varjota - na época distrito de Reriutaba. Na adolescência, desafiou seu pai em projetar uma lanterna de madeira. O mesmo fez com êxito ganhando um elogio de 'danado'”, compartilha o neto.
O velório do mestre está sendo realizado na casa da família, na comunidade do Olho d'água dos Trajanos, no município de Varjota. O sepultamento ocorre no fim da tarde.
Confira a nota de pesar divulgada pela Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult):
"Com grande tristeza nos despedimos nesta terça-feira (28/5) do Mestre Antônio Hortênsio, Rabequeiro de Varjota/ Ibiapaba. Nascido em 4 de julho de 1928, no município de Reriutaba – Ce, herdou de seu pai não apenas o nome, mas também o gosto pelo ofício no trato da madeira e seus variados recursos. E, já aos 15 anos, construiu sua primeira Rabeca.
Mestre Hortênsio tocava, além de rabeca, outros instrumentos de corda, como violão e cavaquinho. Consertava e afinava harmônicas, sanfonas. Descoberto pelo escritor e pesquisador Gilmar de Carvalho, era possuidor de um saber em risco de extinção, “tocava de ouvido”, mas com poucos registros de suas composições.
Presença certa nos Encontros Mestre do Mundo, realizados anualmente pela Secult, Antônio Hortênsio recebeu o título de Mestre da Cultura da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará, em 2005, na expressão Rabequeiro, e o título de Notório Saber em Cultura Popular pela Universidade Estadual do Ceará – UECE, no ano de 2016.
Mestre Hortênsio está sendo velado em sua residência, na comunidade do Olho d’água dos Trajanos. Varjota, Ibiapaba. O Sepultamento ocorrerá no final da tarde na localidade".
Que Antônio Hortênsio siga na paz e na lua!
A Secult celebra sua vida, sua arte, seu sorriso, sua rabeca!
Nosso eterno agradecimento, mestre!
REDAÇÃO O POVO ONLINE

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…