Pular para o conteúdo principal

Rio lança prêmio de literatura para ensino fundamental

Ensino médio
A segunda edição do Prêmio Literário do Ensino Fundamental foi lançada hoje (7), no Rio de Janeiro, com o tema Onde mora o preconceito?. Professores do 8º ano do ensino fundamental das 1ª, 2ª, 3ª e 4ª coordenadorias regionais de educação da rede pública de ensino da capital fluminense já podem inscrever seus alunos na competição. As inscrições ficam abertas até o próximo dia 15, no endereço eletrônico do concurso.
O prêmio é focado em estudantes do 8º ano do ensino fundamental que já conhecem questões de narrativa e gênero, disse à Agência Brasil a coordenadora do projeto, Graça Gomes. "Eles já têm condições de escrever um texto mais elaborado. É uma temática que não é novidade para eles. Estamos fortalecendo o conhecimento e, ao mesmo tempo, abrindo para discussão em sala de aula os diversos tipos de preconceito que eles conhecem, veem ou até praticam."
O objetivo é trazer a reflexão para a sala de aula, fazer os alunos pensarem. "Como é que isso bate no outro? Como é que bate em mim? Como a gente se toma por conceitos que estão aí estabelecidos e nem para para pensar sobre eles e acaba praticando ações que não são legais, como bulliyng, machismo, racismo".
Graça Gomes inclui também a pessoa diferente, que impacta no meio estudantil, como a alta, baixa, gorda, magra. "Quem sai de um padrão pré-estabelecido já vira motivo de galhofa", destascou. A iniciativa visa ainda despertar o interesse pela criação literária e estimular o pensamento crítico.

Guia de orientação

No ato da inscrição, os professores devem informar o número das turmas e dos grupos. Os participantes serão assessorados pela ferramenta Guia de Acompanhamento e Orientação para Professores (GAOP), lançada no ano passado, que mostra os passos para a construção de textos. "Incluímos no guia, material complementar como videos e textos garimpados para dar suporte aos professores. Cada tópico abordado tem um fórum liderado por especialista da área de literatura", informou a coordenadora.
Os textos dos alunos devem ser enviados pelos professores no dia 19 de julho. A equipe de coordenação terá dois meses para proceder à análise e pontuação dos textos, seguindo critérios como narrativa, conteúdo, ortografia, abordagem, criatividade, inovação.
O prêmio traz uma novidade neste ano: a participação do professor nos fóruns do guioa vai representar meio ponto ganho nos textos dos alunos. "Queremos essa interação, esse pensar junto entre todos – professores, alunos, equipe de premiação – para ver de que forma a gente pode contribuir para a melhoria desse planeta".

Coletânea

Serão premiados 30 textos, que serão publicados em uma coletânea a ser lançada em novembro deste ano e distribuída na rede municipal de ensino fundamental. Após a cerimônia de anúncio dos vencedores, prevista para o início de setembro, será disponibilizada também a versão e-book do livro para download gratuito no site do prêmio.
Poderão participar textos de diferentes gêneros do tipo narrativo: conto, crônica literária, crônica jornalística, fábula, diário e carta. Também serão admitidos esquetes de teatro, poesia, raps e cordel.
A escola vencedora ganha um vale no valor de R$ 600 para a compra de livros para sua sala de leitura. Já os alunos autores dos melhores textos ganham medalhas, troféus e camisetas e participarão de um passeio com lanche e visita guiada a uma instituição cultural da cidade. Os professores também são premiados.
No ano passado, o Prêmio Literário do Ensino Fundamental teve como tema A Ética no Cotidiano e contou com a adesão de 30 escolas, 84 professores e 468 alunos, que enviaram 121 textos. Para o livro, foram selecionados 31 textos de escolas de diversos bairros do Rio. Houved uma visita guiada foi até o Museu de Arte do Rio (MAR), localizado na Praça Mauá, região portuária do Rio de Janeiro.
O prêmio é promovido pela Alternativa Cultura e Equipe F3 Produções através do Programa de Fomento à Cultura Carioca da Secretaria Municipal de Cultura, Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, com patrocínio da Sapura Navegação Marítima S.A. e apoio da Secretaria Municipal de Educação.
Agência Brasil

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…