Pular para o conteúdo principal

35ª Feira do Livro de Brasília: 7 autores cancelam presença no evento

Giovanna Bembom/Metrópoles
A 35ª edição da Feira do Livro de Brasília (FeLiB) começou nesta quinta-feira (06/06/2019) com a notícia do cancelamento da presença de autores renomados, como Ignácio Loyola Brandão, Renato Janine Ribeiro e Sandra Dualibi. Ao todo, sete convidados deixarão de participar do evento: segundo a organização da feira, por falta de verbapara os escritores que falariam com adultos, decidiu-se priorizar a programação infantil.
A historiadora Mary Del Priore deixou de participar por problemas pessoais. Já os escritores Alberto Mussa e Lúcia Bettencourt cancelaram a vinda a Brasília antes que a organização do evento o fizesse. Por fim, a jornalista Dad Squarisi, que falaria nesta sexta-feira (07/06/2019) ao público adulto, participará apenas da programação pedagógica da feira. Em nota divulgada em seu site oficial, a organização lamentou o ocorrido: “Fomos forçados a fazer diversos e dolorosos cortes indigestos. Entregamos a melhor FeLiB possível, mas não a que desejávamos”.
“Havia uma previsão de entrada de recursos que acabou não se concretizando. Tivemos que fazer escolhas para colocar o evento de pé. Seguramos a programação até o último momento, para tentar achar um caminho que não levasse a esse ajuste, mas não foi possível. Priorizamos outras coisas, como os ônibus que traz as crianças das escolas”, comentou o porta-voz da feira, Marcos Linhares.
Em nota, a Secretaria de Cultura e Economia Criativa informou que no início de 2019, a organização da FeLiB apresentou um projeto com orçamento de R$ 2,7 milhões, que seriam captados junto a parlamentares por meio de emendas, além de contar com fontes de financiamento privado. “Até a tarde desta quinta-feira os proponentes só apresentaram ofícios com destinação de R$550 mil e, portanto, foi necessária readequação do projeto que estava na Secretaria, inclusive com alterações na programação”, informaram.
A feira acontece até 16 de junho na praça do Museu Nacional da República e conta com a presença de Arnaldo Antunes, Fabrício Carpinejar e Lázaro Ramos.
Leia a nota na íntegra:
Prezado (a) Autor (a),
Resiliência. Esse é o sentimento que tem norteado a realização de ações de cultura em nosso país desde há muito. Quando se trata de literatura então, a tarefa se torna ainda mais desafiadora. Num momento em que o mercado editorial diminuiu pelo quinto ano consecutivo, em que as livrarias estão fechando, em que os investimentos privados são ainda pouco significativos e esparsos, em que as políticas públicas do livro, da leitura e bibliotecas estão aquém do necessário, ainda assim, conseguimos mais uma vez colocar de pé, com altivez, a tradicional 35ª FEIRA DO LIVRO DE BRASÍLIA – FeLiB. Mas a tarefa a cada ano mostra-se mais hercúlea. Fomos forçados a fazer diversos e dolorosos cortes indigestos. Entregamos a melhor FeLiB possível, mas não a que desejávamos.

Contudo, mais que reclamar, iremos continuar nesse caminho, sempre acreditando que parar não é e nunca será uma opção. Resistir para continuar a plantar sonhos por meio das palavras que embalam, que ajudam a construir cidadãos melhores. Ainda podemos dizer que somos pessoas de sorte: Somos cidadãos dispostos a enfrentar essa árdua jornada e que ainda podemos contar com alguns apoiadores e parceiros que nos permitem continuar. Sem eles, mesmo cortando nossos salários e recebendo ajuda dos fornecedores, não conseguiríamos. A Rede Globo, por exemplo, embarcou nessa caminhada como emissora oficial por crer que a nossa proposta merece ser apoiada.
Mesmo após o Comitê Gestor esgotar os termos para manter, até o último momento, a programação intacta foi vencido pelas questões elencadas acima. De forma que, infelizmente, vem por meio desta oficializar um pedido de desculpas por não poder contar com sua honrosa participação na FeLiB 2019, pelos transtornos causados e espera a compreensão de tamanho contratempo. Apesar disso, a FeLiB vai se realizar para atender os mais de dois mil metros de exposição literária, executar o projeto inicial que abarca aspectos sociais relevantes como: Inclusão Social da comunidade escolar pelo critério de baixo IDH, democratização do acesso literário a portadores de deficiências, inclusão da melhor idade nas atividades itinerantes, plano de gerenciamento de resíduos sólidos (sustentabilidade) e outros pontos viáveis.
Esperamos que, ao não nos curvarmos ante as dificuldades, possamos continuar nosso movimento de resistência que tem nos movido nesses 35 anos de realização. E nesse sentido, temos certeza que em algum momento, em outro evento, teremos a honra de poder contar com nossos autores convidamos. Com otimismo, finalizamos dizendo: Até breve!
Fonte: Metrópoles

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/