Pular para o conteúdo principal

História e folclore da Romênia integram trio de livros do escritor Luciano Maia


O empenho em esquadrinhar as peculiaridades da Romênia integra o expediente de Luciano Maia desde muito cedo, quando ainda estudava no Colégio Diocesano de Limoeiro do Norte, município onde nasceu. A memória não falha: nas aulas, o Padre Pitombeira sempre fazia questão de mencionar quais eram as línguas continuadoras do latim falado no Império Romano, não sem antes deixar entrever uma observação importante.
"Ele dizia: português, francês, espanhol, italiano e? romeno. Esse 'e romeno' sempre parecia um apêndice, o que me acendeu uma curiosidade desgraçada para saber mais sobre essa língua", conta o poeta e estudioso, membro da Academia Cearense de Letras e cônsul honorário da Romênia em Fortaleza. Na década de 1960,já na Capital, passou a atravessar as peculiaridades do romeno de modo a abrir as veredas para maior conhecimento sobre o tema.
Desta feita, o livro "A Língua Romena (breve apresentação)", de autoria do escritor, faz uma apresentação sumária do assunto, com ênfase nos aspectos históricos e étnicos. Sem a pretensão de ser obra acadêmica nem manual de linguística, divide-se em três partes: a primeira sobre generalidades, em que estão incluídos aspectos evolutivos; a segunda com foco em breves noções gramaticais; e a terceira reúne textos em romeno, de cunho linguístico e literário.
Tradição
De certa forma, a obra é porta de entrada para outras duas, traduzidas por Luciano: "A Lenda do Mestre Manole" e o combo "Miorita (A Cordeirinha)" e "Caprioara (A Corça)", reunidos em um único volume. Os livros trazem à superfície lendas tradicionais da Romênia, com temas que merecem reflexões atemporais.
img3img3
Luciano Maia é cônsul honorário da Romênia em Fortaleza
Foto: Fabiane de Paula
A resignação diante da morte integra o primeiro; por sua vez, o rito dosacrifício para que construções arquitetônicas perdurem fazem parte do segundo. Os três títulos serão lançados na terça-feira (18), a partir das 19h, no Ideal Clube.
Ao considerar os paralelismos entre Brasil e Romênia, o escritor sublinha aspecto importante: as surpreendentes semelhanças que em determinados contextos encontramos entre uma língua e outra.
"Mas é algo enganoso. Há problemas envolvendo o vocabulário e léxico romeno, as chamadas esquinas eslavas, que não conferem uma equivalência total", pondera Luciano.
Também merece atenção a força incomum de um povo que resiste para que a própria cultura seja preservada. Que não se desdobra diante do extraordinário. Fatos que os exemplares darão conta de ampliar.
Serviço
Lançamento dos livros de Luciano Maia
Dia 18 de junho (terça-feira), a partir das 19h, no Ideal Clube (Av. Monsenhor Tabosa, 1381, Meireles). Entrada pela Avenida Rui Barbosa. Contato: (85) 3248-5688

img1img1
A Língua Romena (breve apresentação)
Luciano Maia
Academia Cearense de Letras e Consulado Honorário da Romênia em Fortaleza
2019, 116 páginas
R$ 40

img9img9
Miorita (A Cordeirinha) e Caprioara (A Corça)
Tradução de Luciano Maia
Academia Cearense de Letras e Consulado Honorário da Romênia em Fortaleza
2019, 67 páginas
R$ 20

img7img7
A Lenda do Mestre Manole
Tradução de Luciano Maia
Academia Cearense de Letras e Consulado Honorário da Romênia em Fortaleza
2019, 60 páginas
R$ 20


Dário do Nordeste

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…