Pular para o conteúdo principal

O POVO lança Antologia, podcast que une ficção e jornalismo literário

Podcast Antologia - produzido pelo O POVO - estreia hoje, apresentando textos inéditos de autores cearenses


Argentina Castro, escritora
Argentina Castro, escritora (Foto: Aurélio Alves/Aurélio Alves)
Extrapolando fronteiras entre diferentes plataformas e estimulando o consumo de literatura autoral cearense, o podcast Antologia chega hoje às plataformas digitais. Produzido pelos jornalistas do O POVO Rubens Rodrigues e Isabel Costa, o Antologia integra o projeto Letras&Livros, do Vida&Arte. O produto que estreia hoje, com apresentação de Isabel, tem periodicidade semanal e traz uma proposta diferente: os episódios, liberados sempre às terças-feiras, abrem com a leitura de contos de ficção dos autores convidados seguido por um debate sobre temas relacionados ao universo literário, como mercado, escrita e processo criativo; já em cada sábado posterior à postagem do episódio daquela semana, os contos lidos irão ganhar espaço nas páginas da edição impressa do V&A acompanhados de ilustrações criadas especificamente para cada produção.
"Letras&Livros é uma plataforma para incentivar a literatura cearense, fazendo difusão de novos autores - especialmente aqueles que não têm espaço no mercado editorial mais formal", explica Isabel. "Em 2018, aconteceu um evento chamado Letras&Livros, no dia 12 de junho, que foi de grande capilaridade e movimentou a cena literária. Pensando nisso, o Vida&Arte resolveu ampliar a plataforma e trabalhar em 2019 - ano em que celebra seus 30 anos -, apostando em novas frentes", avança a jornalista. Estão previstos no escopo do projeto a exibição de um programa de TV, a publicação dos contos no V&A, a veiculação de um quadro no Programa Vida&Arte da NovaBrasil FM (106,5) e nova edição do evento Letras&Livros marcada para 5 de julho, para além do podcast Antologia.
A curadoria dos contistas de Antologia foi feita por Rubens e Isabel, que convidaram e provocaram autores independentes a enviarem seus escritos para o projeto. Compõem a primeira temporada do podcast: Sobre Dentes, de Zélia Sales, marcando a estreia; Errar é humano e Segredo, ambos de Antônio Lacarne; As almas penadas do açude grande, de Bruno Paulino; Dezesseis pobres primaveras, de Argentina Castro; e Eu Sinto Medo e Jaguaribe, beira de rio, ambos de Ayla Andrade. Os ilustradores que acompanham a publicação dos contos nos sábados do V&A são, respectivamente, Raisa Christina, Carlus Campos, Domitila Andrade, Dhiovana Kécia e Jéssica Gabrielle Lima. Em todos os episódios do podcasts, os contos são lidos com interpretação da atriz Jéssica Teixeira.
A aposta nos podcasts, inclusive, tem sido alta no Grupo O POVO, que produz outros podcasts, como Fora da Ordem, Recorte, Futcast e O Orgulho Contra Ataca, por exemplo. Com a popularidade cada vez maior do formato, a Associação Brasileira de Podcasters (Abpod), em parceria com a rádio CBN, realizou a PodPesquisa 2018, que revelou diferentes comportamentos e preferências do público ouvinte. Segundo a publicação, a entrevista e os audiobooks (contos/histórias) são, respectivamente, o terceiro e o quarto mais citados como formatos de maior interesse - foram ouvidas mais de 22 mil pessoas para a pesquisa. A união do jornalismo e da ficção promovida no mais novo podcast do O POVO o coloca em posição de vanguarda no Brasil. "O Antologia surge de uma vontade de projetar autores independentes e que conhecem as dificuldades para publicar. Daí a necessidade de juntar ficção e jornalismo. Se de um lado o projeto foi criado como plataforma para contar essas histórias que estão sendo concebidas no Ceará - de forma descentralizada, já que a gente não traz apenas escritores de Fortaleza -, de outro havia também a necessidade de dizer quem são essas pessoas. É importante conhecer quem escreve, o que acaba sendo uma característica forte dessa primeira temporada. Ajudar a difundir esses nomes é um posicionamento. E esse hibridismo é, de certa forma, novo. Existem podcasts de ficção dentro e fora do Brasil, mas estamos propondo um diálogo que é muito genuíno do V&A", considera Rubens.
Clique na imagem para abrir a galeria

Podcast Antologia

Primeiro episódio Sobre Dentes, com Zélia Sales
Disponível no Spotify, Deezer, iTunes e demais plataformas agregadoras de podcasts
JOÃO GABRIEL TRÉZ
o povo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…