Pular para o conteúdo principal

PENÉLOPE: O amor que sabe esperar


Após a GUERRA DE TROIA, ULISSES, o mais inteligente e astucioso dos gregos, passou dez anos vagando pelos mares, sem conseguir voltar para casa, como punição do deus POSEIDON por ter cegado o olho de seu, o ciclope POLIFERMO.

Com a ajuda da deusa ATENA, ULISSES conseguiu chegar à Ítaca. Procurou seu antigo servo, EUMEU, e então soube que dezenas de rapazes se instalaram em sua casa, exigindo que PENÉLOPE escolhesse um deles para esposo.
Acuada, PENÉLOPE fez uso de uma artimanha para ganhar tempo: disse-lhes que escolheria seu futuro marido quando terminasse a mortalha que estava a tecer para seu sogro LAERTES. Durante o dia, ela trabalhava no tear; pela manhã, desfazia o tecido.
ULISSES traçou um plano para eliminar os pretendentes. Sob o disfarce de mendigo, entrou no palácio e aceitou participar de um torneio em que teria de colocar a corda num arco que ninguém conseguia empunhar. Vitorioso, ULISSES eliminou cada um dos pretendentes, retomou seu trono e reconquistou a esposa. 
Tanto tempo longe do marido, PENÉLOPE nunca deixou de acreditar que um dia ele voltaria para seus braços. 
Soube esperar porque amava. Amava porque soube esperar. 
PENÉLOPE jamais desistiu.

Grecianny Carvalho Cordeiro
Promotora de Justiça e Escritora

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…