Pular para o conteúdo principal

Projeto Paulo Freire a Bombordo celebra o legado do patrono da educação brasileira no Porto Iracema

O filósofo e pedagogo é um dos mais citados e homenageados pensadores brasileiros no mundo.
Com o objetivo de celebrar a obra do filósofo, pedagogo e patrono da educação brasileira, o Porto Iracema das Artes lança o Projeto Paulo Freire a Bombordo com atividades até setembro, mês de aniversário do educador, quando o país todo se engajará na “Marcha amorosa”, evento que reverenciará o legado de Freire. A programação iniciará com duas aulas abertas das educadoras Gleyce Kelly Heitor e Ruth Cavalcante nos dias 24 de junho e 6 de julho, respectivamente. Ambas atividades são gratuitas.
O projeto Paulo Freire a Bombordo tem como objetivo “reafirmar a importância da obra do educador, num momento em que o pensamento crítico virou alvo preferencial dos grupos de direita no país” – observa a Diretora de Formação do Instituto Dragão do Mar, Elisabete Jaguaribe. “A ideia é estabelecermos uma esfera permanente de debate em torno da obra de Paulo Freire, refletindo nossas práticas de formação, numa perspectiva muito clara de garantirmos o livre pensamento no processo construção de uma sociedade mais justa”, complementa a diretora.
O nome do programa, Paulo Freire a Bombordo, segue a tradição que o Porto Iracema das Artes criou, no processo de nomeação dos projetos da escola, sempre inspirados em referências da cultura do mar. A ideia vem de uma analogia com os navios que, ao descerem o Atlântico ao longo da costa africana, terem à sua esquerda a terra e os respectivos portos – bom bordo – enquanto que do lado direito só existia o mar e o desconhecido. O projeto acontecerá num movimento de articulação entre as quatro escolas que integram a Rede de Escolas Criativas do Instituto Dragão do Mar: Porto Iracema das Artes, Escola de Gastronomia Ivens Dias Branco, Escola Thomaz Pompeu e Centro Cultural Bom Jardim.
ATIVIDADES INICIAIS DO PROJETO
No dia 24 de junho, às 19h, a educadora e pesquisadora Gleyce Kelly Heitor ministrará aula aberta com o tema “Paulo Freire e Arte Contemporânea”. A ação, que acontecerá no Auditório da Escola, também abre a temporada formativa do Laboratório de Artes Visuais, integrando o módulo “Circuito, Instituições e Anti-institucionalidade”.
A aula aberta traçará um percurso histórico da relação de Paulo Freire com a arte, destacando sua atuação e a influência de suas ideias em movimentos culturais e processos artísticos. Para além de traçar um panorama das relações deste educador com a arte, também serão abordados os diferentes usos dos pensamentos e métodos deste autor por parte de artistas, curadores, circuitos e instituições de arte.
A segunda atividade que marca a abertura do projeto é a aula aberta “Ruth Cavalcante e Paulo Freire: Poéticas da Existência”. Quem ministrará a aula é a própria psicopedagoga Ruth Cavalcante, que trabalhou com o educador e desenvolve projetos a partir da inspiração conceitual de Paulo Freire. A aula também será no Auditório, no dia 6 de julho, às 8h30.
Mais do que uma aula aberta, o encontro com Ruth Cavalcante será um momento de partilha da comovente trajetória em que se cruzam duas pessoas que dedicaram suas vidas à educação libertária. Um momento de reafirmação da importância do legado, e da presença de Paulo Freire para todas as esferas do conhecimento.
AS FACILITADORAS
Gleyce Kelly Maciel Heitor
Gleyce Kelly é educadora e pesquisadora. Tem licenciatura em História pela UFPE, mestrado em Museologia e Patrimônio pela Unirio-Mast e experiência com projetos de mediação cultural, educação e programas públicos em museus, exposições e demais instituições de arte. Atualmente é Coordenadora de Ensino da Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Foi professora substituta do Bacharelado em Museologia da Universidade Federal de Goiás (2017 – 2018). Dentre suas recentes experiências em museus e instituições culturais destacam-se: sua atuação como coordenadora pedagógica do Programa CCBB Educativo Arte e Educação – 2018, realizado pelo JA.CA Centro de Arte e Tecnologia, onde trabalhou na elaboração do programa pedagógico, na implementação, formação e acompanhamento das equipes de educação (RJ, SP, DF e BH) e no desenvolvimento de materiais pedagógicos; seu trabalho como parte da equipe de implementação da Escola do Olhar – Museu de Arte do Rio, onde foi assessora e coordenadora pedagógica (2012-2017) frente aos projetos Escola e Museus, Acessibilidade e Inclusão, Ações Educativas e Formação Continuada de Equipes. Além de ter sido contemplada, em 2016, com a bolsa de qualificação profissional da CAPES para o Intercâmbio Acadêmico IBRAM – Escola do Louvre, oferecida pelo Instituto Brasileiro de Museus, que viabilizou um período de estudos e estágio, respectivamente na Escola do Louvre e na Diretoria de Mediação e Programação Cultural do Museu do Louvre (2016), onde desenvolveu pesquisas sobre metodologias e referências em mediação cultural na América Latina. Estão entre os seus principais temas de pesquisa: as relações entre os museus, a arte contemporânea e a educação; as interfaces entre a museologia e o pensamento social brasileiro e as relações entre os museus e os movimentos sociais.
Maria Ruth Barreto Cavalcante
Ruth Cavalcante é graduada em psicopedagogia na escola de Pedagogia Social de Colônia, Alemanha. Pós-graduada em Educação Biocêntrica e em Psicologia Transpessoal. Professora dos cursos de pós-graduação em Relações Humanas e Dinâmicas Grupais, e Educação Biocêntrica na Universidade Estadual do Vale de Acaraú e na Universidade Estadual do Ceará. Consultora em Método de Processo em Empresas, escolas, Organizações e Comunidades. Diretora Pedagógica do CDH- Centro de desenvolvimento Humano, desde 1981 Professora da Escola Pública Municipal de Fortaleza desde 1981. Ruth foi a primeira presa política do estado do Ceará, nos anos de chumbo da ditadura militar. Nascida no Ceará em 1943, iniciou aos 21 anos a trajetória na educação com jovens e adultos, quando conheceu o Movimento de Educação de Base (MEB), aplicado de acordo com os fundamentos do educador Paulo Freire.
SERVIÇO
O que: Aula aberta “Paulo Freire e Arte Contemporânea”, com Gleyce Kelly Heitor
Quando: Segunda-feira, 24 de junho de 2019, às 19h
Onde: Auditório do Porto Iracema (R. Dragão do Mar, 160 – Praia de Iracema)
GRATUITO
O que: Aula aberta “Ruth Cavalcante e Paulo Freire: Poéticas da Existência”, com Ruth Cavalcante
Quando: Sábado, 6 de julho de 2019, às 8h30
Onde: Auditório do Porto
GRATUITO
Secult.Ce

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …