Pular para o conteúdo principal

Projeto Paulo Freire a Bombordo celebra o legado do patrono da educação brasileira no Porto Iracema

O filósofo e pedagogo é um dos mais citados e homenageados pensadores brasileiros no mundo.
Com o objetivo de celebrar a obra do filósofo, pedagogo e patrono da educação brasileira, o Porto Iracema das Artes lança o Projeto Paulo Freire a Bombordo com atividades até setembro, mês de aniversário do educador, quando o país todo se engajará na “Marcha amorosa”, evento que reverenciará o legado de Freire. A programação iniciará com duas aulas abertas das educadoras Gleyce Kelly Heitor e Ruth Cavalcante nos dias 24 de junho e 6 de julho, respectivamente. Ambas atividades são gratuitas.
O projeto Paulo Freire a Bombordo tem como objetivo “reafirmar a importância da obra do educador, num momento em que o pensamento crítico virou alvo preferencial dos grupos de direita no país” – observa a Diretora de Formação do Instituto Dragão do Mar, Elisabete Jaguaribe. “A ideia é estabelecermos uma esfera permanente de debate em torno da obra de Paulo Freire, refletindo nossas práticas de formação, numa perspectiva muito clara de garantirmos o livre pensamento no processo construção de uma sociedade mais justa”, complementa a diretora.
O nome do programa, Paulo Freire a Bombordo, segue a tradição que o Porto Iracema das Artes criou, no processo de nomeação dos projetos da escola, sempre inspirados em referências da cultura do mar. A ideia vem de uma analogia com os navios que, ao descerem o Atlântico ao longo da costa africana, terem à sua esquerda a terra e os respectivos portos – bom bordo – enquanto que do lado direito só existia o mar e o desconhecido. O projeto acontecerá num movimento de articulação entre as quatro escolas que integram a Rede de Escolas Criativas do Instituto Dragão do Mar: Porto Iracema das Artes, Escola de Gastronomia Ivens Dias Branco, Escola Thomaz Pompeu e Centro Cultural Bom Jardim.
ATIVIDADES INICIAIS DO PROJETO
No dia 24 de junho, às 19h, a educadora e pesquisadora Gleyce Kelly Heitor ministrará aula aberta com o tema “Paulo Freire e Arte Contemporânea”. A ação, que acontecerá no Auditório da Escola, também abre a temporada formativa do Laboratório de Artes Visuais, integrando o módulo “Circuito, Instituições e Anti-institucionalidade”.
A aula aberta traçará um percurso histórico da relação de Paulo Freire com a arte, destacando sua atuação e a influência de suas ideias em movimentos culturais e processos artísticos. Para além de traçar um panorama das relações deste educador com a arte, também serão abordados os diferentes usos dos pensamentos e métodos deste autor por parte de artistas, curadores, circuitos e instituições de arte.
A segunda atividade que marca a abertura do projeto é a aula aberta “Ruth Cavalcante e Paulo Freire: Poéticas da Existência”. Quem ministrará a aula é a própria psicopedagoga Ruth Cavalcante, que trabalhou com o educador e desenvolve projetos a partir da inspiração conceitual de Paulo Freire. A aula também será no Auditório, no dia 6 de julho, às 8h30.
Mais do que uma aula aberta, o encontro com Ruth Cavalcante será um momento de partilha da comovente trajetória em que se cruzam duas pessoas que dedicaram suas vidas à educação libertária. Um momento de reafirmação da importância do legado, e da presença de Paulo Freire para todas as esferas do conhecimento.
AS FACILITADORAS
Gleyce Kelly Maciel Heitor
Gleyce Kelly é educadora e pesquisadora. Tem licenciatura em História pela UFPE, mestrado em Museologia e Patrimônio pela Unirio-Mast e experiência com projetos de mediação cultural, educação e programas públicos em museus, exposições e demais instituições de arte. Atualmente é Coordenadora de Ensino da Escola de Artes Visuais do Parque Lage. Foi professora substituta do Bacharelado em Museologia da Universidade Federal de Goiás (2017 – 2018). Dentre suas recentes experiências em museus e instituições culturais destacam-se: sua atuação como coordenadora pedagógica do Programa CCBB Educativo Arte e Educação – 2018, realizado pelo JA.CA Centro de Arte e Tecnologia, onde trabalhou na elaboração do programa pedagógico, na implementação, formação e acompanhamento das equipes de educação (RJ, SP, DF e BH) e no desenvolvimento de materiais pedagógicos; seu trabalho como parte da equipe de implementação da Escola do Olhar – Museu de Arte do Rio, onde foi assessora e coordenadora pedagógica (2012-2017) frente aos projetos Escola e Museus, Acessibilidade e Inclusão, Ações Educativas e Formação Continuada de Equipes. Além de ter sido contemplada, em 2016, com a bolsa de qualificação profissional da CAPES para o Intercâmbio Acadêmico IBRAM – Escola do Louvre, oferecida pelo Instituto Brasileiro de Museus, que viabilizou um período de estudos e estágio, respectivamente na Escola do Louvre e na Diretoria de Mediação e Programação Cultural do Museu do Louvre (2016), onde desenvolveu pesquisas sobre metodologias e referências em mediação cultural na América Latina. Estão entre os seus principais temas de pesquisa: as relações entre os museus, a arte contemporânea e a educação; as interfaces entre a museologia e o pensamento social brasileiro e as relações entre os museus e os movimentos sociais.
Maria Ruth Barreto Cavalcante
Ruth Cavalcante é graduada em psicopedagogia na escola de Pedagogia Social de Colônia, Alemanha. Pós-graduada em Educação Biocêntrica e em Psicologia Transpessoal. Professora dos cursos de pós-graduação em Relações Humanas e Dinâmicas Grupais, e Educação Biocêntrica na Universidade Estadual do Vale de Acaraú e na Universidade Estadual do Ceará. Consultora em Método de Processo em Empresas, escolas, Organizações e Comunidades. Diretora Pedagógica do CDH- Centro de desenvolvimento Humano, desde 1981 Professora da Escola Pública Municipal de Fortaleza desde 1981. Ruth foi a primeira presa política do estado do Ceará, nos anos de chumbo da ditadura militar. Nascida no Ceará em 1943, iniciou aos 21 anos a trajetória na educação com jovens e adultos, quando conheceu o Movimento de Educação de Base (MEB), aplicado de acordo com os fundamentos do educador Paulo Freire.
SERVIÇO
O que: Aula aberta “Paulo Freire e Arte Contemporânea”, com Gleyce Kelly Heitor
Quando: Segunda-feira, 24 de junho de 2019, às 19h
Onde: Auditório do Porto Iracema (R. Dragão do Mar, 160 – Praia de Iracema)
GRATUITO
O que: Aula aberta “Ruth Cavalcante e Paulo Freire: Poéticas da Existência”, com Ruth Cavalcante
Quando: Sábado, 6 de julho de 2019, às 8h30
Onde: Auditório do Porto
GRATUITO
Secult.Ce

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08