Pular para o conteúdo principal

Vida e esperança

Padre Geovane Saraiva*
Deus se comunica com seu povo, de um modo muito especial, na festa do amor, ao se revelar em toda a sua plenitude no mistério afável e terno da Trindade Santa, que nos fala na História, nos chamando à conversão. Ele deseja que plantemos a semente da esperança e da misericórdia restauradora, pelas imagens do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Contemplemos o mistério da Santíssima Trindade, solenidade da qual somos convidados a renovar – nós, vossas criaturas – a vocação à vida comunitária e trinitária, a partir do exaustivo ensinamento bíblico, em que o nosso bom Deus, uno e trino, gerado quando nem existiam abismos, mananciais, fontes hídricas e aquíferos, ou mesmo antes que fossem constituídas e fixadas montanhas e colinas, ao manifestar seu mistério redentor. É no sangue do Filho eterno do Pai que nos tornamos conhecedores e enamorados da beleza sempre antiga e sempre nova.
Deus quer nos convencer das expressivas alusões supracitadas, elogios e atributo divino à sabedoria, apresentando-nos como misterioso em pessoa: “Possuía-me desde o início dos seus caminhos e antes de suas obras (...). “Quando colocava os fundamentos da terra, eu estava ao seu lado como seu mestre de obras” (cf. Pr 8, 22-30). Revela-nos aquele fogo que sempre mais arde e consome-se, contrariando e destruindo a vontade humana, sinalizada pelo pecado.

Deus realiza o sonho da pessoa humana plenamente livre, na revelação da Trindade Santa, que é próprio de Deus a penetrar no mais íntimo do interior humano, que da nossa parte cabe resposta, mas dentro de um convívio com as marcas da esperança. As três pessoas nos propõem o desafio salvífico, na acolhida, da nossa parte, de um Deus Pai, Filho e Espírito Santo.

Fomos batizados em nome da Trindade Santa. Resta-nos suplicar um pouco daquela alma grande, por complacência de Deus, concedida a Santo Agostinho, enquanto queria entender o inefável mistério. Só mesmo na graça de Deus é que podemos obter respostas plausíveis para tal mistério. Assim seja!

*Pároco de Santo Afonso, Blogueiro, Escritor e  integra a Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

POPE FRANCIS GENERAL AUDIENCE 2016.06.08

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/