Pular para o conteúdo principal

Francisco assina prefácio de livro sobre «mulheres crucificadas», no qual recorda encontro de 2016 com vítimas de tráfico e exploração sexual

Francisco assina prefácio de livro sobre «mulheres crucificadas», no qual recorda encontro de 2016 com vítimas de tráfico e exploração sexual
Cidade do Vaticano, 29 jul 2019 (Ecclesia) – O Papa Francisco denunciou a escravatura a que são sujeitas mulheres de todo o mundo, vítimas de tráfico e exploração sexual, no prefácio que assina para o livro “Mulheres crucificadas”, divulgado hoje na Itália.
“Libertar estas pobres escravas é um gesto de misericórdia e um dever para todos os seres humanos de boa vontade. O seu grito de dor não pode deixar indiferente nem os indivíduos nem as instituições”, refere o texto.
A obra ‘Mulheres crucificadas. A vergonha do tráfico relatada desde a rua’ é assinada pelo padre Aldo Buonaiuto, da Comunidade Papa João XXIII, fundada por Oreste Benzi.
Foi esta a comunidade que o Papa visitou numa das ‘Sextas-feiras da Misericórdia’, durante o último Jubileu, a 12 de agosto de 2016.
“Qualquer forma de prostituição é uma redução à escravatura, um ato criminoso, um vício repugnante que confunde o fazer amor com o descarregar os próprios instintos, torturando uma mulher indefesa”, escreve Francisco.
É uma ferida na consciência coletiva, um desvio ao imaginário corrente. É patológica a mentalidade segundo a qual uma mulher é explorada como se fosse uma mercadoria, que se usa e depois se deita fora. É uma doença da humanidade, uma maneira errada de pensar da sociedade”.
Evocando a passagem pela casa de acolhimento da Comunidade Papa João XXIII, na região metropolitana de Roma, Francisco confessa: “Não pensei que lá dentro iria encontrar mulheres tão humilhadas, debilitadas, exaustas. Realmente mulheres crucificadas”.
Com o Papa estiveram jovens libertadas do tráfico da prostituição, oriundas da Roménia, Albânia, Nigéria, Tunísia, Itália ou Ucrânia.
“Respirei toda a dor, a injustiça e o efeito da subjugação. Uma oportunidade para reviver as feridas de Cristo. Depois de ter escutado as narrações comoventes e tão humanas destas pobres mulheres, algumas delas com o filho nos braços, senti um forte desejo, quase exigência, de lhes pedir perdão pelas autênticas torturas que tiveram de suportar por causa dos clientes, muitos dos quais se definiam cristãos”, escreve Francisco.
O Papa convida todos a pelo acolhimento das vítimas do tráfico da prostituição forçada e da violência.
“Uma pessoa nunca pode ser posta à venda”, sustenta, recordando o trabalho de quem ajuda as vítimas, sujeitos “aos perigos e às retaliações da criminalidade, que fez destas jovens uma inesgotável fonte de lucros ilícitos e vergonhosos”.
“Libertar estas pobres escravas é um gesto de misericórdia e um dever para todos os seres humanos de boa vontade. O seu grito de dor não pode deixar indiferente nem os indivíduos nem as instituições. Ninguém pode voltar as costas ou lavar as mãos do sangue inocente que é derramado nas estradas do mundo”, conclui o Papa.
OC

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…