Pular para o conteúdo principal

Bienal do livro - As trilhas do labirinto

| Programação | A XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará começa nesta sexta-feira, 16, com atividades voltadas para diferentes públicos ao longo de 10 dias

Por 


FORTALEZA, CE, BRASIL, 23-04-2017: Vista geral de visitantes na Bienal do Livro. Encerramento da XII Bienal Internacional do Livro do Ceará, no Centro de Eventos. (Foto: EVilázio Bezerra/O POVO)
FORTALEZA, CE, BRASIL, 23-04-2017: Vista geral de visitantes na Bienal do Livro. Encerramento da XII Bienal Internacional do Livro do Ceará, no Centro de Eventos. (Foto: EVilázio Bezerra/O POVO)

Em Campos de Castilla (1912), o poeta espanhol Antonio Machado (1875-1939) escreveu seus versos mais consagrados: "Caminhante, são tuas pegadas o caminho e nada mais; Caminhante, não há caminho. Se faz caminho ao andar". A XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará é um trajeto construído no caminhar: a abertura do evento será realizada amanhã, 16, e a programação segue até 25 de agosto — nos próximos 10 dias, múltiplos passos percorrem do Centro de Eventos do Ceará ao Sertão de Quixeramobim. O Vida&Arte apresenta, nesta edição especial, um guia de indicações para desbravar este amplo labirinto literário.
Com programação totalmente gratuita e aberta ao público, o XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará deve reunir mais de 450 mil visitantes e cerca de 300 convidados — entre escritores, ilustradores, livreiros, editores, mediadores de leitura, distribuidores e demais profissionais do mercado editorial do País e de outras nações. São 120 horas de atividades distribuídas em 12 mil metros quadrados e 15 espaços temáticos. Destaque sempre aguardado, a feira de livros conta com mais de 150 expositores. Ao longo desse vasto itinerário, mais de 110 livros serão lançados.
Sob a curadoria da escritora Ana Miranda e dos escritores e professores Inês Cardoso e Carlos Vazconcelos, com coordenação de Goreth Albuquerque, a décima terceira edição da Bienal do Livro tem a pluralidade como marca. "A diversidade é uma premissa no conceito e na programação da Bienal. A diversidade como princípio na perspectiva cultural, étnica, territorial, política e também de gênero — desde a abordagem do gênero enquanto literatura ao gênero em relação à comunidade LGBT", partilha Fabiano Piúba, titular da Secretaria da Cultura.
Para o secretário da pasta, o tema "As cidades e os livros" demarca a cidade como escrita e também como leitura. "Podemos dizer que a cidade é um livro, mas não um livro qualquer: é um livro polifônico, feita por distintas vozes e distintos personagens. Ela nos pede para ser lida, reescrita… Não pensamos só a cidade de Fortaleza, porque a Capital é locus, mas a cidade como conceito abrangente. A gente está falando das cidades como lugares, casas, ruas, escritos. É um tema muito pulsante e inspirador. Temos uma programação muito rica, diversa e democrática. A Bienal do Livro é também um ambiente para o exercício pleno da democracia através do direito à leitura e ao livro como cidadania", encerra.


Conceição Evaristo
Um dos destaques mais aguardados da programação, Conceição Evaristo é escritora, poetisa, romancista e ensaísta. Vencedora de prêmios como Jabuti de Literatura 2015, Faz a Diferença - Categoria Prosa 2017 e Prêmio Cláudia - Categoria Cultura 2017, Conceição é autora das aclamadas obras Ponciá Vicêncio (2003), Becos da Memória (2006), Insubmissas lágrimas de mulheres (2011) e Olhos d'Água (2014). A mineira é mestra em Literatura Brasileira pela PUC-Rio, doutora em Literatura Comparada pela Universidade Federal Fluminense e militante do movimento negro.
Mesa Insubmissas Memórias, com Conceição Evaristo
e Vânia Vasconcelos
Sábado, 24, às 18 horas
Mediação: Marília Lovatel
Local: Terreiro em Sonho, Térreo

O jornalista e escritor Mário Magalhães posa para foto em seu escritório. Foto Daniel Ramalho para Editora Record.
O jornalista e escritor Mário Magalhães posa para foto em seu escritório. Foto Daniel Ramalho para Editora Record.

Mário Magalhães
Jornalista, escritor e autor do livro Marighella: o guerrilheiro que incendiou o mundo, Mário Magalhães lança em Fortaleza seu novo livro: Sobre Lutas e Lágrimas - Uma Biografia de 2018. Protagonizado por Marielle Franco, Jair Bolsonaro e Luiz Inácio Lula da Silva, a obra é uma escrita urgente sobre um ano que tão cedo não vai terminar. 
Lançamento Sobre Lutas e Lágrimas - Uma Biografia de 2018
Sábado, 17, às 19 horas
Mediação de Bete Jaguaribe
e debate com Glauber Braga
Local: Arena Multicultural Juvenal Galeno, Térreo

Abdellah Taïa
Abdellah Taïa

Abdellah Taïa
O jornalista marroquino Abdellah Taïa foi o primeiro escritor árabe a se assumir homossexual publicamente e se tornou um ícone de resistência. É autor de romances como Le roi du Jours (Prêmio Flore 2010), Infidèles (2012) e Un pays pour mourir (2015). Em 2014, dirigiu um longa metragem baseado no seu romance L'armée du salut.
Mesa Os subterrâneos das Cidades com Abdellah Taïa e Jardson Remido 
Domingo, 18, às 20 horas
Mediação: Ricardo Kelmer
Local: Terreiro em Sonho, Térreo

Escritor indígena Daniel Munduruku participa da Bienal do Livro do Ceará
Escritor indígena Daniel Munduruku participa da Bienal do Livro do Ceará

Daniel Munduruku
O escritor indígena Daniel Munduruku é graduado em Filosofia, tem licenciatura em História e Psicologia, é Doutor em Educação pela USP e preside o Instituto UKA - Casa dos Saberes Ancestrais. Já recebeu também diversos prêmios no Brasil e no exterior, como o Prêmio Jabuti e Prêmio da Academia Brasileira de Letras. É, atualmente, o escritor indígena mais publicado do País.
Bate-papo Uma abordagem da literatura oral brasileira com Daniel Munduruku, Cristino Wapichana e Marco Haurélio
Segunda, 19, às 10h
Mediação: Regina Machado
Local: Terreiro em Sonho, Térreo
Mesa Violência e Vertigem com e Daniel Munduruku e Demitri Túlio
Terça-feira, 20, às 20h
Mediação: Regina Machado (CE)
Local: Terreiro em Sonho, Térreo
Local: Terreiro em Sonho, Térreo
Linhas de ônibus que passam pelo Centro de Eventos do Ceará
Parangaba / Oliveira Paiva / Papicu - 041. av. Eng. Santana Júnior/ av. Washington Soares/ av. Oliveira Paiva/ rua Tabelião Joaquim Coelho
Parangaba/ Papicu/ Aeroporto - 066. Terminal Parangaba/ av. Dedé Brasil/ Aeroporto/ av. Alberto Crveiro/ Raul Barbosa/ av. Gal. Murilo Borges/ Unifor/ Iguatemi/ Terminal Papicu
Antônio Bezerra/ Lagoa/ Unifor - 024. Terminal Antônio Bezerra/ Mister Hull/ Terminal Lagoa/ Dedé Brasil/ Castelão/ av. Oliveira Paiva/ av. Washington Soares/ rua Carlos Ribeiro Pamplona
Grande Circular 1 - 051. av. Leste Oeste/ Barra do Ceará/ av. Perimetral/ Messejana/ Unifor/ Iguatemi/ Cais do Porto
Grande Circular 2 - 052 . Cais do Porto/ Iguatemi/ Unifor/ Messejana/ av. Perimetral/ Barra do Ceará/ av. Leste Oeste
Bairro Edson Queiroz/ Centro - 816. Fórum/ av. Washington Soares/ Iguatemi/ av. Eng. Santana Jr./ av. Pe. Antonio Tomás/ av. Heráclito Graça/ Praça Coração de Jesus/ BNB
Messejana/ Papicu - 068. Terminal Messejana/ av. Pedro Lazart/ Lago Jacarey/ rua Ver. Pedro Paulo/ av. Washington Soares/ Unifor/ Terminal Papicu
Jardim das Oliveiras/ Luciano Cavalcante 1 - 021. Terminal Papicu/ av. Santos Dumont/ Centro/ av. Aguanambi/ BR-116/ Eng. Luciano Cavalcante/ av. Washington Soares/ Unifor/ Iguatemi/ av. Eng. Santana Júnior
Jardim das Oliveiras/ Luciano Cavalcante 2 - 022. Terminal Papicu/ av. Eng. Santana Júnior/ Iguatemi/ av. Washington Soares/ Unifor/ eng. Luciano Cavalcante/ Br-116/ av. Aguanambi/ Centro/ av. Santos Dumont
Antônio Bezerra/ Unifor - 074. Terminal Antônio Bezerra/ av. Sgt. Hermínio Sampaio/ av. Domingos Olimpio/ av. Antônio Sales/ Iguatemi/ Unifor
Bairro Edson Queiroz - 806. Terminal Papicu/ av. Eng. Santana Júnior / Iguatemi/ Unifor/ av. Washington Soares/ Imprensa Oficial/ av. Rosa Cordeiro
Papicu/ Conjunto Alvorada - 820. Terminal Papicu/ Iguatemi/ Unifor/ av. Washington Soares/ av. Edilson Brasil Soares/ rua Euclides Onofre de Souza/ rua José Félix de Lima
Campus do Pici/ Unifor - 075. av. Santana Júnior/ av. Washington Soares/ rua Kasel
O Povo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…