Pular para o conteúdo principal

Bienal do livro - As trilhas do labirinto

| Programação | A XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará começa nesta sexta-feira, 16, com atividades voltadas para diferentes públicos ao longo de 10 dias

Por 


FORTALEZA, CE, BRASIL, 23-04-2017: Vista geral de visitantes na Bienal do Livro. Encerramento da XII Bienal Internacional do Livro do Ceará, no Centro de Eventos. (Foto: EVilázio Bezerra/O POVO)
FORTALEZA, CE, BRASIL, 23-04-2017: Vista geral de visitantes na Bienal do Livro. Encerramento da XII Bienal Internacional do Livro do Ceará, no Centro de Eventos. (Foto: EVilázio Bezerra/O POVO)

Em Campos de Castilla (1912), o poeta espanhol Antonio Machado (1875-1939) escreveu seus versos mais consagrados: "Caminhante, são tuas pegadas o caminho e nada mais; Caminhante, não há caminho. Se faz caminho ao andar". A XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará é um trajeto construído no caminhar: a abertura do evento será realizada amanhã, 16, e a programação segue até 25 de agosto — nos próximos 10 dias, múltiplos passos percorrem do Centro de Eventos do Ceará ao Sertão de Quixeramobim. O Vida&Arte apresenta, nesta edição especial, um guia de indicações para desbravar este amplo labirinto literário.
Com programação totalmente gratuita e aberta ao público, o XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará deve reunir mais de 450 mil visitantes e cerca de 300 convidados — entre escritores, ilustradores, livreiros, editores, mediadores de leitura, distribuidores e demais profissionais do mercado editorial do País e de outras nações. São 120 horas de atividades distribuídas em 12 mil metros quadrados e 15 espaços temáticos. Destaque sempre aguardado, a feira de livros conta com mais de 150 expositores. Ao longo desse vasto itinerário, mais de 110 livros serão lançados.
Sob a curadoria da escritora Ana Miranda e dos escritores e professores Inês Cardoso e Carlos Vazconcelos, com coordenação de Goreth Albuquerque, a décima terceira edição da Bienal do Livro tem a pluralidade como marca. "A diversidade é uma premissa no conceito e na programação da Bienal. A diversidade como princípio na perspectiva cultural, étnica, territorial, política e também de gênero — desde a abordagem do gênero enquanto literatura ao gênero em relação à comunidade LGBT", partilha Fabiano Piúba, titular da Secretaria da Cultura.
Para o secretário da pasta, o tema "As cidades e os livros" demarca a cidade como escrita e também como leitura. "Podemos dizer que a cidade é um livro, mas não um livro qualquer: é um livro polifônico, feita por distintas vozes e distintos personagens. Ela nos pede para ser lida, reescrita… Não pensamos só a cidade de Fortaleza, porque a Capital é locus, mas a cidade como conceito abrangente. A gente está falando das cidades como lugares, casas, ruas, escritos. É um tema muito pulsante e inspirador. Temos uma programação muito rica, diversa e democrática. A Bienal do Livro é também um ambiente para o exercício pleno da democracia através do direito à leitura e ao livro como cidadania", encerra.


Conceição Evaristo
Um dos destaques mais aguardados da programação, Conceição Evaristo é escritora, poetisa, romancista e ensaísta. Vencedora de prêmios como Jabuti de Literatura 2015, Faz a Diferença - Categoria Prosa 2017 e Prêmio Cláudia - Categoria Cultura 2017, Conceição é autora das aclamadas obras Ponciá Vicêncio (2003), Becos da Memória (2006), Insubmissas lágrimas de mulheres (2011) e Olhos d'Água (2014). A mineira é mestra em Literatura Brasileira pela PUC-Rio, doutora em Literatura Comparada pela Universidade Federal Fluminense e militante do movimento negro.
Mesa Insubmissas Memórias, com Conceição Evaristo
e Vânia Vasconcelos
Sábado, 24, às 18 horas
Mediação: Marília Lovatel
Local: Terreiro em Sonho, Térreo

O jornalista e escritor Mário Magalhães posa para foto em seu escritório. Foto Daniel Ramalho para Editora Record.
O jornalista e escritor Mário Magalhães posa para foto em seu escritório. Foto Daniel Ramalho para Editora Record.

Mário Magalhães
Jornalista, escritor e autor do livro Marighella: o guerrilheiro que incendiou o mundo, Mário Magalhães lança em Fortaleza seu novo livro: Sobre Lutas e Lágrimas - Uma Biografia de 2018. Protagonizado por Marielle Franco, Jair Bolsonaro e Luiz Inácio Lula da Silva, a obra é uma escrita urgente sobre um ano que tão cedo não vai terminar. 
Lançamento Sobre Lutas e Lágrimas - Uma Biografia de 2018
Sábado, 17, às 19 horas
Mediação de Bete Jaguaribe
e debate com Glauber Braga
Local: Arena Multicultural Juvenal Galeno, Térreo

Abdellah Taïa
Abdellah Taïa

Abdellah Taïa
O jornalista marroquino Abdellah Taïa foi o primeiro escritor árabe a se assumir homossexual publicamente e se tornou um ícone de resistência. É autor de romances como Le roi du Jours (Prêmio Flore 2010), Infidèles (2012) e Un pays pour mourir (2015). Em 2014, dirigiu um longa metragem baseado no seu romance L'armée du salut.
Mesa Os subterrâneos das Cidades com Abdellah Taïa e Jardson Remido 
Domingo, 18, às 20 horas
Mediação: Ricardo Kelmer
Local: Terreiro em Sonho, Térreo

Escritor indígena Daniel Munduruku participa da Bienal do Livro do Ceará
Escritor indígena Daniel Munduruku participa da Bienal do Livro do Ceará

Daniel Munduruku
O escritor indígena Daniel Munduruku é graduado em Filosofia, tem licenciatura em História e Psicologia, é Doutor em Educação pela USP e preside o Instituto UKA - Casa dos Saberes Ancestrais. Já recebeu também diversos prêmios no Brasil e no exterior, como o Prêmio Jabuti e Prêmio da Academia Brasileira de Letras. É, atualmente, o escritor indígena mais publicado do País.
Bate-papo Uma abordagem da literatura oral brasileira com Daniel Munduruku, Cristino Wapichana e Marco Haurélio
Segunda, 19, às 10h
Mediação: Regina Machado
Local: Terreiro em Sonho, Térreo
Mesa Violência e Vertigem com e Daniel Munduruku e Demitri Túlio
Terça-feira, 20, às 20h
Mediação: Regina Machado (CE)
Local: Terreiro em Sonho, Térreo
Local: Terreiro em Sonho, Térreo
Linhas de ônibus que passam pelo Centro de Eventos do Ceará
Parangaba / Oliveira Paiva / Papicu - 041. av. Eng. Santana Júnior/ av. Washington Soares/ av. Oliveira Paiva/ rua Tabelião Joaquim Coelho
Parangaba/ Papicu/ Aeroporto - 066. Terminal Parangaba/ av. Dedé Brasil/ Aeroporto/ av. Alberto Crveiro/ Raul Barbosa/ av. Gal. Murilo Borges/ Unifor/ Iguatemi/ Terminal Papicu
Antônio Bezerra/ Lagoa/ Unifor - 024. Terminal Antônio Bezerra/ Mister Hull/ Terminal Lagoa/ Dedé Brasil/ Castelão/ av. Oliveira Paiva/ av. Washington Soares/ rua Carlos Ribeiro Pamplona
Grande Circular 1 - 051. av. Leste Oeste/ Barra do Ceará/ av. Perimetral/ Messejana/ Unifor/ Iguatemi/ Cais do Porto
Grande Circular 2 - 052 . Cais do Porto/ Iguatemi/ Unifor/ Messejana/ av. Perimetral/ Barra do Ceará/ av. Leste Oeste
Bairro Edson Queiroz/ Centro - 816. Fórum/ av. Washington Soares/ Iguatemi/ av. Eng. Santana Jr./ av. Pe. Antonio Tomás/ av. Heráclito Graça/ Praça Coração de Jesus/ BNB
Messejana/ Papicu - 068. Terminal Messejana/ av. Pedro Lazart/ Lago Jacarey/ rua Ver. Pedro Paulo/ av. Washington Soares/ Unifor/ Terminal Papicu
Jardim das Oliveiras/ Luciano Cavalcante 1 - 021. Terminal Papicu/ av. Santos Dumont/ Centro/ av. Aguanambi/ BR-116/ Eng. Luciano Cavalcante/ av. Washington Soares/ Unifor/ Iguatemi/ av. Eng. Santana Júnior
Jardim das Oliveiras/ Luciano Cavalcante 2 - 022. Terminal Papicu/ av. Eng. Santana Júnior/ Iguatemi/ av. Washington Soares/ Unifor/ eng. Luciano Cavalcante/ Br-116/ av. Aguanambi/ Centro/ av. Santos Dumont
Antônio Bezerra/ Unifor - 074. Terminal Antônio Bezerra/ av. Sgt. Hermínio Sampaio/ av. Domingos Olimpio/ av. Antônio Sales/ Iguatemi/ Unifor
Bairro Edson Queiroz - 806. Terminal Papicu/ av. Eng. Santana Júnior / Iguatemi/ Unifor/ av. Washington Soares/ Imprensa Oficial/ av. Rosa Cordeiro
Papicu/ Conjunto Alvorada - 820. Terminal Papicu/ Iguatemi/ Unifor/ av. Washington Soares/ av. Edilson Brasil Soares/ rua Euclides Onofre de Souza/ rua José Félix de Lima
Campus do Pici/ Unifor - 075. av. Santana Júnior/ av. Washington Soares/ rua Kasel
O Povo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …