Pular para o conteúdo principal

Bienal Internacional do Livro do Ceará recebeu mais de 450 mil visitantes

O evento, realizado de 16 a 25 de agosto, recebeu mais de 450 mil visitantes. Foram R$ 9,6 milhões em movimentação e vendas e 526 mil livros vendidos

Ultimo dia da Bienal Internacional do Livro
Ultimo dia da Bienal Internacional do Livro
Nos últimos dez dias, a XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará, promovida no Centro de Eventos do Ceará, proporcionou leituras e vivências plurais. Caminhos de letras que contemplaram a diversidade cultural, étnica, territorial, de gênero. Com o tema "As Cidades e os Livros", o evento recebeu mais de 450 mil visitantes. Dos quais, 40.400 alunos de 809 escolas públicas e privadas do Estado. Diversidade será, inclusive, tema da próxima edição, a ser realiza em 2021.
Saraus, periferias, juventudes, clubes literários, cultura indígena, cultura afro-brasileira, literatura oral, lançamentos e apresentações se movimentaram em meio aos 90 mil títulos disponíveis. Conforme Ana Miranda, curadora da Bienal, uma das belezas do evento é, também, a participação dos grupos escolares.
"Pegamos esse tema com toda a diversidade. A cidade com a inclusão de todas as manifestações e possíveis formas de cidade. A protagonista foi a leitura. Pedimos a todos os participantes que ao subir ao palco, lessem alguma coisa. Isso foi uma inovação", disse Ana. Outra novidade desta edição foi a homenagem a livros, ao invés de escritores.
De acordo com Fabiano Piúba, secretário da Cultura, a singularidade da Bienal cearense é a programação cultural, literária, artística e acadêmica para além da feira. "É um ambiente de democratização do acesso ao livro, de formação de leitura e de cidadania, na medida em que possibilita o acesso ao conhecimento", diz. Segundo o secretário, a sociedade cearense, cada vez mais, se apropria da bienal como "patrimônio".
A programação, com 130 horas de atividades, contou com o lançamento de livros, palestras, oficinas, espetáculos teatrais e musicais, literatura de cordel, contações de histórias, mediações de leituras e bate-papos. Um dos pontos fortes do evento, a Bienal Fora da Bienal levou a programação para além dos muros do Centro de Eventos. Chegando ao Titanzinho; aos cucas; ao Centro Cultural Bom Jardim; à Casa de Saberes Cego Aderaldo, em Quixadá; assentamento Maceió, em Itapipoca; e a tribo Jenipapo-Kanindé e ao Instituto Penal Feminino Auri Moura Costa, ambos em Aquiraz.
A relevância do evento também é destacada no impacto no mercado editorial. Com 526 mil exemplares vendidos, foram R$ 9,6 milhões em movimentação e vendas, quase o dobro da edição anterior.
Para 2021, segundo Piúba, a perspectiva é ampliar o leque de parcerias que possibilitam a realização do evento e o orçamento. Dentre os desafios, intensificar ações prévias como atividades de preparação em escolas para antecipar a programação e o conceito da Bienal, além de qualificar e ampliar os expositores. Este ano, foram 150 expositores, 400 editoras e 27 livrarias participantes.
Conceição Evaristo, um dos principais nomes desta edição, foi confirmada por Piúba como curadora da próxima Bienal, junto ao nome do poeta e produtor Talles Azigon.
O Povo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…