Pular para o conteúdo principal

Bienal Internacional do Livro do Ceará recebeu mais de 450 mil visitantes

O evento, realizado de 16 a 25 de agosto, recebeu mais de 450 mil visitantes. Foram R$ 9,6 milhões em movimentação e vendas e 526 mil livros vendidos

Ultimo dia da Bienal Internacional do Livro
Ultimo dia da Bienal Internacional do Livro
Nos últimos dez dias, a XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará, promovida no Centro de Eventos do Ceará, proporcionou leituras e vivências plurais. Caminhos de letras que contemplaram a diversidade cultural, étnica, territorial, de gênero. Com o tema "As Cidades e os Livros", o evento recebeu mais de 450 mil visitantes. Dos quais, 40.400 alunos de 809 escolas públicas e privadas do Estado. Diversidade será, inclusive, tema da próxima edição, a ser realiza em 2021.
Saraus, periferias, juventudes, clubes literários, cultura indígena, cultura afro-brasileira, literatura oral, lançamentos e apresentações se movimentaram em meio aos 90 mil títulos disponíveis. Conforme Ana Miranda, curadora da Bienal, uma das belezas do evento é, também, a participação dos grupos escolares.
"Pegamos esse tema com toda a diversidade. A cidade com a inclusão de todas as manifestações e possíveis formas de cidade. A protagonista foi a leitura. Pedimos a todos os participantes que ao subir ao palco, lessem alguma coisa. Isso foi uma inovação", disse Ana. Outra novidade desta edição foi a homenagem a livros, ao invés de escritores.
De acordo com Fabiano Piúba, secretário da Cultura, a singularidade da Bienal cearense é a programação cultural, literária, artística e acadêmica para além da feira. "É um ambiente de democratização do acesso ao livro, de formação de leitura e de cidadania, na medida em que possibilita o acesso ao conhecimento", diz. Segundo o secretário, a sociedade cearense, cada vez mais, se apropria da bienal como "patrimônio".
A programação, com 130 horas de atividades, contou com o lançamento de livros, palestras, oficinas, espetáculos teatrais e musicais, literatura de cordel, contações de histórias, mediações de leituras e bate-papos. Um dos pontos fortes do evento, a Bienal Fora da Bienal levou a programação para além dos muros do Centro de Eventos. Chegando ao Titanzinho; aos cucas; ao Centro Cultural Bom Jardim; à Casa de Saberes Cego Aderaldo, em Quixadá; assentamento Maceió, em Itapipoca; e a tribo Jenipapo-Kanindé e ao Instituto Penal Feminino Auri Moura Costa, ambos em Aquiraz.
A relevância do evento também é destacada no impacto no mercado editorial. Com 526 mil exemplares vendidos, foram R$ 9,6 milhões em movimentação e vendas, quase o dobro da edição anterior.
Para 2021, segundo Piúba, a perspectiva é ampliar o leque de parcerias que possibilitam a realização do evento e o orçamento. Dentre os desafios, intensificar ações prévias como atividades de preparação em escolas para antecipar a programação e o conceito da Bienal, além de qualificar e ampliar os expositores. Este ano, foram 150 expositores, 400 editoras e 27 livrarias participantes.
Conceição Evaristo, um dos principais nomes desta edição, foi confirmada por Piúba como curadora da próxima Bienal, junto ao nome do poeta e produtor Talles Azigon.
O Povo

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …