Pular para o conteúdo principal

Confira dicas de como estimular o hábito de leitura para crianças

Especialistas dão sugestões úteis aos pais para atrair os pequenos e incentivá-los a gostar dos livros

Á disposição dos amantes da literatura, a Barca dos Livros é uma das duas bibliotecas comunitárias de Florianópolis
Á disposição dos amantes da literatura, a Barca dos Livros é uma das duas bibliotecas comunitárias de Florianópolis
(Foto:)
O hábito da leitura precisa ser incentivado desde cedo. Para ajudar, a especialista Ana Claudia Perpétuo de Oliveira e Tânia Piacentini, idealizadora da Barca dos Livros, de Florianópolis, dão algumas sugestões do que os pais podem fazer para ajudar as crianças a criarem o gosto pelos livros.
Em Florianópolis, há duas bibliotecas comunitárias à disposição do público: a Barca dos Livros, na Lagoa da Conceição, e a Biblioteca Livre do Campeche, a Bilica. São duas opções para colocar em prática ou aperfeiçoar a leitura.

Para Ana Claudia, existe uma pressão hoje em dia, quase uma violência estrutural, em acreditarmos que a pessoa que tem o hábito da leitura está, de alguma forma, em uma posição superior, que é um melhor cidadão. A primeira sugestão é quebrar este conceito e valorizar todas as formas de leitura. Por segundo, em casa, os pais devem ter o costume de ler se querem inspirar os filhos. De nada vai adiantar se a lição de moral não fizer sentido.
Ana Claudia aconselha os pais a não obrigarem os filhos a ler. O gosto pela leitura não se torna natural, e pode criar até uma aversão aos livros. Mais uma vez, a dica é dar o exemplo: ao começar a ler um livro, pergunte para a criança: "Eu vou ler um livro. Você não?", sugere a especialista. É importante ainda identificar o que a criança gosta, para sugerir leituras sobre estes assuntos. Por exemplo, seu filho gosta de dinossauros? Compre ou alugue livrinhos sobre o tema. A criança precisa se identificar com o que ela está lendo para se interessar e focar na leitura.
Para Ana Claudia, os pais também precisam de um olhar sensível sobre os livros e ver qual deles trazem, de fato, alguma informação nova, alguma inspiração para a criança. Leitura traz conhecimento, mas nem tudo traz sabedoria. Além disso, mostre os livros como fonte de informação.
Quando uma criança nos pergunta alto, costumamos responder e explicar determinado assunto já em seguida, na lata. Tente evitar isso. Fale que você também não sabe e que, juntos, eles podem procurar o significado da dúvida no dicionário, por exemplo", avalia Ana Claudia.
Outra dica é contar histórias. Não só estimule a criança a ler sozinha, mas antes disso, tenha o costume de ler historinhas aos pequenos. E encare o livro como objeto coletivo, destaca ainda Tânia Piacentini.
Tânia Piacentini, da Barca dos Livros, dá dicas de como incentivar a leitura entre crianças
Tânia Piacentini, da Barca dos Livros, dá dicas de como incentivar a leitura entre crianças
(Foto: )
Às bibliotecas, cabe ajudar o leitor a ter uma experiência mais bacana justamente com a figura do bibliotecário. Como Ana Claudia define, um animador da leitura, que indique, que saiba as histórias, que fale de forma apaixonada quais obras que a criança ou adolescente possam ler, que estão de acordo com os temas que elas gostam;
Outra dica ainda é que as bibliotecas sejam posicionadas para fisgar o leitor. Na Barca dos Livros, por exemplo, as voluntárias optam em deixar livros com capas mais coloridas e chamativas, com histórias de personagens conhecidos das crianças, numa estante maior, ao lado das almofadas. Se contentando com estas opções, a criança pode, por seguinte, ir para prateleira próxima onde conta com literatura brasileira e outras histórias um pouco mais densas. A mesma coisa ocorre com a estante onde ficam os gibis. Logo ao lado estão os livros de personagens de quadrinhos, que podem levar ainda para outro tipo de literatura. A ideia é que as estantes conversem entre si.

Fonte: NSC Total

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Corpo do Jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na terça-feira

Vinícius Lisboa - Repórter da Agência Brasil* O corpo do jornalista Carlos Heitor Cony deve ser cremado na próxima terça-feira (9), no Memorial do Carmo, segundo a Academia Brasileira de Letras (ABL), respeitando o desejo do imortal. Cony morreu ontem (6), aos 91 anos, vítima de falência múltipla dos órgãos após dez dias de internação. Segundo a ABL, como a morte ocorreu em um fim de semana, procedimentos jurídicos e administrativos terão que ser resolvidos nesta segunda-feira (8). Após a cremação, suas cinzas devem ser lançadas em um local que remete a sua infância. Também a pedido do jornalista, seu corpo não foi velado na sede da academia. A amiga e também jornalista Rosa Canha disse que Cony desejava uma cerimônia íntima. "Ele não queria velório, não queria missas nem nenhum tipo de homenagens. Ele pediu muito que fosse uma cerimônia apenas para a família".  Saiba MaisTemer lamenta morte do jornalista Carlos Heitor Cony Carlos Heitor Cony nasceu no Rio em 14 de março de 1926.…

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…