29 de agosto de 2019

Escritora reúne histórias de missionários comprometidos com o evangelho

“Onde só a alma chega” é o título do livro de Monica Mondo que reúne algumas entrevistas com missionários que enfrentam realidades difíceis 

Da redação, com Vatican News
Irmã Hanna Kulaszewska missionária em Moçambique 
Paolo Ruffini, prefeito do Dicastério para a Comunicação, escreveu o prefácio do livro de Monica Mondo “Dove solo l’anima arriva” (Onde só a alma chega), publicado pela editora Missionária Italiana. O livro reúne uma série de entrevistas com missionários de todas as partes do mundo. No prefácio o prefeito escreve entre outras coisas: “Viaja-se de Madagascar de padre Pedro ao Japão de padre Tosolini, das favelas de Buenos Aires onde Papa Francisco era de casa ao coração ferido da profunda África, onde a violência insensata contra os menores não é a última palavra. Isso porque mulheres como irmã Rosemary são capazes de acender a esperança onde o inferno parecia ter encontrado moradia”.
Ruffini recorda também o quanto as entrevistas apresentadas no livro leva o leitor “espiritualmente diante do muro que separa israelenses e palestinos rezando com irmã Donatella um terço de lamentações e esperança”. Assim como faz o leitor entrar “no território da cultura com mestres do pensamento como José Tolentino Mendonça e Timothy Radcliffe”, e confrontar-se com “a desumanizadora pobreza do Sudão do Sul de padre Moschetti”. Une os cristãos também “à via-sacra dos migrantes do México de padre Rigoni”, e os faz se deparar com “a indomável esperança da irmã Bertelli, uma nova mãe para tantas crianças com deficiências em Bangkok”.
Estes encontros com os missionários, sublinha o prefeito do Dicastério para a Comunicação, demonstram como no fundo o Evangelho é sempre notícia: “trata-se de histórias de vida capazes de reacender ’em nós a paixão pelo Evangelho’, porque as palavras dos religiosos entrevistados pela autora são ‘vibrantes de apaixonado testemunho e de caridade incansável'”.
Trata-se, segundo Ruffini, de “milagres que ainda hoje o Evangelho sabe causar, milagres que os missionários e as missionárias encontram nos pontos mais longínquos da terra, confirmando mais uma vez que Deus nos precede sempre, que o amor é mais forte do que o medo e que a vida sempre vence a morte”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Destaque

Choram porque amam

Padre Geovane Saraiva* Como é bom rezar e colocar em primeiro lugar o mistério da redenção! Nem sempre, porém, sabemos rezar e nem d...