Pular para o conteúdo principal

Processo colaborativo envolvendo estudantes criou a identidade visual da Bienal do Livro do Ceará


Inspirados em obras de Sérvulo Esmeraldo, homenageado nesta edição, desenhos e grafismos foram produzidos por estudantes e profissionais


A partir desta sexta-feira (16), os espaços que percorreremos no Centro de Eventos do Ceará refletirão o trabalho de incontáveis mãos. Desde a curadoria à idealização dos ambientes, processos colaborativos marcam a realização da XIII Bienal Internacional do Livro.
Um dos destaques nessa seara recai sobre a identidade visual da festa literária, gestada por meio de espécie de residência artística, na qual saberes foram compartilhados entre estudantes e profissionais.
O momento de imersão aconteceu de 27 de junho a 1º de julho e integrou uma das atividades pré-Bienal. Junto a Anna Dantes, da Dantes Editora (RJ) - convidada pela Secretaria da Cultura do Estado (Secult-CE) - alunos e professores da Universidade de Fortaleza (Unifor) participaram da Oficina de Criação da cenografia do Centro de Eventos, unindo perspectivas intrínsecas aos aprendizados desenvolvidos nos cursos de Publicidade e Propaganda e Arquitetura e Urbanismo da Instituição.
img2img2
Diálogo horizontal marcou os cinco dias de imersão proporcionados pela residência artística
Foto: Polyana de Loreto
Anna explica que chegou a Fortaleza com um projeto gráfico já desenvolvido, contudo mudou o rumo dos trabalhos devido à conversa com a escritora Ana Miranda, curadora do evento.
"Em algum momento, ela falou da La Femme Bateau, uma das peças criadas por Sérvulo Esmeraldo. Quando a vi, mudei a identidade e fui no dia seguinte apresentar um novo projeto à Secult", conta. "Fui capturada por ela, por sua força. Toda a Bienal está no caminho de abrir espaço para o possível, então nosso ofício também foi buscar isso".
Pontes
A enigmática criação de Sérvulo, de fato, é o grande destaque da concepção visual do evento. A La Femme Bateau, conforme Anna, como que "puxa" a programação, rebocando cada atividade. Quando começar a Bienal, ela se tornará um barquinho que surfará por entre as ações, traduzindo a alegria da realização da festa literária.
Veja um dos formatos de utilização da identidade visual do evento:
A editora também adianta que os ambientes serão repletos de cores, enfatizando a pluralidade de expressões reunidas, e que cada eixo será representado por outras peças de Sérvulo Esmeraldo, artista homenageado nesta edição.
"Fizemos uma pesquisa dos grafismos, inclusive contando com um passeio pela cidade com Dodora Guimarães, esposa de Sérvulo, mostrando as obras de autoria dele. Foi uma imersão, portanto, muito afetiva. Um encontro. Acho que os próprios estudantes não esperavam que iam ser colocados como coautores", situa.
img3img3
Obra "La Femme Bateau", criada por Sérvulo Esmeraldo, é o principal ícone da identidade visual da Bienal
Aluno de Publicidade e Propaganda da Unifor, Matheus Sales ficou responsável pela parte gráfica do mapa. Ele salienta a relevância do esquema colaborativo que permeou os momentos com Anna Dantes e os outros participantes.
"Ficamos cinco dias trabalhando em propostas arquitetônicas e visuais, aumentando esse universo visual que vai ser apresentado na Bienal", recorda.
Potencialidades
Entre os desafios listados pelo estudante, o de alinhar tantas ações, seja na programação, seja na divulgação e produção do evento, ganha força. "Muitas vezes a gente colocava algumas ideias, mas elas eram derrubadas no momento da prática, o que era muito bacana, porque aprendíamos durante a construção".
img4img4
Diferentes grafismos baseados nas obras de Sérvulo Esmeraldo representarão os eixos temáticos
Com ele, Laura Monteiro, estudando no mesmo curso da Unifor, elenca detalhes da empreitada. Ela e Matheus, vale mencionar, além de participarem da oficina em Fortaleza, também tiveram oportunidade de viajar ao Rio de Janeiro, por meio de bolsa, para conhecer a Dantes Editora e aperfeiçoar os saberes.
"Fiquei superlisonjeada por participar, ainda na faculdade, de um evento tão importante como esse, que eu frequento desde criança com meus pais. Saber que lá tem um pouquinho de mim é de uma satisfação enorme", comemora Laura.
Serviço
XIII Bienal Internacional do Livro do Ceará
A partir desta sexta-feira (16) até o dia 25 de agosto, das 10h às 22h, no Centro de Eventos do Ceará (Av. Washington Soares, 999 - Edson Queiroz). Gratuito. Programação completa no site do evento


Fonte: Diário do Nordeste

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Participe da Coletânea "100 Poetas e 100 Sonetos"

O Instituto Horácio Dídimo de Arte, Cultura e Espiritualidade está selecionando 100 poetas para compor a Coletânea “100 Poetas e 100 Sonetos”. Os sonetos são de tema livre e devem ser metrificados em qualquer tamanho ou estilo, rimados ou não. 

Não haverá taxa de inscrição e nem obrigatoriedade de aquisição do livro pelos participantes, que em contrapartida cedem seus direitos autorais. 

A data e local do lançamento da coletânea serão definidos posteriormente. 

Para participar, envie o seu soneto para o email ihd@institutohoraciodidimo.org ou pelo formulário até 10/07/2019 com uma breve biografia.

Por https://institutohoraciodidimo.org/2019/06/11/coletanea-100-poetas-e-100-sonetos/

O Natal em Natal (RN), a capital potiguar fundada em 25 de dezembro de 1599

Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto 'O Natal em Natal'.
Considerada uma das maiores e mais bonitas do Brasil, a Árvore de Natal instalada no bairro de Mirassol encanta a natalenses e turistas. (Alex Regis/ Secom Natal)
Os moradores da capital do Rio Grande do Norte têm um motivo a mais para se alegrar e vivenciar esta época do ano. Afinal, eles celebram o “Natal em Natal”. Aliás, a capital potiguar recebeu este nome devido a data da sua fundação: 25 de dezembro de 1599. Neste mês, a cidade se reveste de enfeites e de festas culturais, através do projeto “O Natal em Natal”, promovido pela prefeitura municipal. Ao todo, segundo a prefeitura, são mais de 40 eventos que contemplam dança, música, teatro, audiovisual, artesanato, gastronomia e outras manifestações culturais.
Na zona sul da capital, foi acessa, no dia 3 de dezembro,  a tradicional “árvore de Mirassol”, com 112 metros de altura, ornamentada com enfeites nos formatos de …

Projeto do escritor e professor cearense Gonzaga Mota doa livros para escolas públicas da Capital e do interior

Por Diego Barbosa,  Com a ação, Gonzaga Mota já circulou por 20 instituições, ora aumentando acervos, ora criando novas mini-bibliotecas Com facilidade, a porta em que está cravada a placa "Livros de escritores cearenses" escancara-se em nova visão. Do outro lado do anteparo, o olhar mira num aconchegante espaço, onde repousam, organizadas e coloridas, obras de toda ordem. São títulos tradicionais e contemporâneos, exemplares de poesias, contos, crônicas, romances. Em comum a todos eles, o DNA nosso: possuem assinatura de cearenses. E querem ganhar mais mundos, outras trilhas. Mantido pelo escritor e professor Gonzaga Mota, o gabinete da descrição acima é recanto de possibilidades. Desde o começo deste ano, o profissional mantém um projeto de doação de livros para escolas públicas de Fortaleza e do interior, almejando estender o raio de alcance da leitura, especialmente entre crianças e jovens. A vontade de fazer com que os volumes saltem da…